10 atitudes para ajudar no emagrecimento

6. Não se dê desculpas
Como resistir ao bombom ou ao doce que está na gaveta do escritório ou na despensa da cozinha? É quase impossível! Por isso, antes de plantar a sua própria armadilha, pense muito bem o porquê de deixar tão facilmente disponíveis esses alimentos tentadores. Você realmente quer emagrecer? Se sim, comece a oferecer esses alimentos para os seus amigos, livre-se deles. Evidentemente, você poderá comer um bombom, mas esporadicamente e não todos os dias.

7. Se cair, levante
Pessoas magras também exageram na alimentação. Elas não ganham peso porque logo em seguida retomam uma alimentação equilibrada em calorias. Se você exagerar, não faça disso o estopim para jogar o seu objetivo para o alto! No momento seguinte, retome a dieta e não faça uma restrição exagerada por conta disso como, por exemplo, dietas desintoxicantes, à base de sucos ou de sopas.

Seja saudável mesmo comendo fora de casa todos os dias

Quem está acostumado a fazer as refeições fora de casa muitas vezes recorre às praças de alimentação dos shoppings como alternativa mais prática. Lá, não faltam opções, mas a regra da alimentação equilibrada e rica em nutrientes continua valendo quando o assunto é vida saudável. E não é difícil segui-la, mesmo diante de um universo de tentações.

 Mas é necessário criar o hábito de fazer combinações nutritivas, balanceadas e evitar os perigos para a saúde, como as gorduras saturadas. Uma dica? Amplie a visão sem sair do trivial. Sabia, por exemplo, que dá para encontrar, pratos quentes e até frango num restaurante japonês, além dos peixes?

Lembrando que lanches não devem substituir as refeições. As comidas oferecidas nas lanchonetes geralmente contém uma grande quantidade de gorduras, sal e açúcares. Seu consumo esporádico não traz malefícios, mas diariamente não é recomendado, pois sabe-se que uma dieta com excesso de gordura traz aumento ao risco de doenças cardiovasculares, de hipertensão e diabetes.

A seguir, veja as medidas para não extrapolar no tamanho das porções e garantir uma refeição saudável.

No restaurante a quilo

Antes de montar o prato, verifique todas as opções do buffet e escolha os alimentos "mentalmente". "Desta forma, evitamos exageros ao ver tantas opções disponíveis", explica a nutricionista Carla Fiorillo. Outra dica é estar atento ao tamanho do prato que o restaurante dispõe: geralmente eles são maiores do que se tem em casa. A pessoa deve atentar-se ao seu apetite e ao tamanho das porções que costuma comer.

Comece a montar o prato pelas saladas, elas estão liberadas e devem ser consumidas à vontade. Se possível, monte um prato somente com a salada, e depois faça o prato quente, assim, haverá uma boa ingestão de vitaminas, minerais e fibras, todos esses essenciais para uma boa saúde. No prato quente, opte por cereais (arroz, milho, trigo). A versão integral dos grãos é rica em fibras. "Não esqueça do feijão, que tem vitaminas que complementam as vitaminas do arroz ou adicione outra leguminosa, como a soja, lentilha e grão de bico, ricas em fibras e proteínas de origem vegetal", recomenda Carla.

As fontes de proteínas (peixes, carnes, aves) devem ser grelhadas, assadas, cozidas ou ensopadas, evitando-se assim as frituras. Neste prato ainda cabe verduras e legumes refogados. De sobremesa, pode-se optar por frutas ou salada de frutas.

Escolha do cardápio

A lógica na hora de fazer a melhor escolha é a mesma de um prato do restaurante por quilo: o importante é priorizar uma refeição que inclua cereais, leguminosas, hortaliças, frutas, leite e derivados, proteínas e gorduras saudáveis. Isso vale para todas as opções da praça de alimentação que vão da comida italiana à japonesa.
Neste tipo de estabelecimento, deve-se atentar aos "couverts" (pães, frios, conservas) que muitas vezes são opções calóricas e que não contém muitos nutrientes; se for para "enganar" a fome, deve-se dar preferência às saladas. 

Prato executivo

O famosos PF (prato feito) executivo geralmente traz como opções alimentos fritos (bife à milanesa ou à parmegiana, batatas fritas, polenta frita, entre outros). Uma forma de deixá-lo mais saudáveis é trocar tais alimentos por opções grelhadas (no caso das carnes), por purê de batata ou batata assada, ou polenta cozida. Ao pedir um prato executivo, também é importante atentar-se à quantidade do mesmo; comer tudo que contém no prato nem sempre é necessário. "A pessoa deve comer devagar e prestar atenção aos sinais do corpo quando houver a saciedade", diz Carla.
fonte: site seja saudável

Pesquisas cientificas comprovam que a alimentação várias vezes ao dia está associada a um menor peso

Segundo pesquisa, comer poucas vezes ao dia pode contribuir com o sopreso e obesidade

Médicos costumam alertar para os riscos de passar longos períodos de tempo sem comer: além de passar uma mensagem errada para o corpo, que passa a acumular mais as calorias ingeridas, faz com que as pessoas descontem comendo em maior quantidade em apenas uma refeição. Uma nova pesquisa mostra como esse comportamento errático está engordando a população.

De acordo com um estudo publicado na edição de novembro do periódico científico Journal of the American Dietetic Association, pessoas adultas com sobrepeso se alimentam com menos frequência do que as que estão com peso normal. Apesar de realizarem menos refeições, elas consomem mais calorias e são menos ativas do que quem não tem quilos extras.


CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Eating Frequency Is Higher in Weight Loss Maintainers and Normal-Weight Individuals than in Overweight Individuals

Onde foi divulgada: Journal of the American Dietetic Association

Quem fez: Jessica Bachman

Instituição: Universidade de Marywood, na Pensilvânia

Dados de amostragem: 250 homens e mulheres

Resultado: Adultos com sobrepeso e obesidade se alimentam com menos frequência do que as pessoas que estão com peso normal. Eles também fazem menos exercícios físicos e consomem mais calorias





























"Pesquisas cientificas já mostravam que a alimentação várias vezes ao dia está associada a um menor peso. Mas ninguém sabia o motivo", disse Jessica Bachman, autora do estudo e professora do departamento de Nutrição e Dieta da Universidade de Marywood, na Pensilvânia. O estudo adiciona evidências sobre a importância de se alimentar várias vezes ao dia.


O estudo também mostrou que aqueles que conseguiam manter o peso eram mais fisicamente ativos e queimavam 3.000 calorias por semana com exercícios e outras atividades. O grupo de pessoas com sobrepeso e obesidade queimava apenas 800 calorias por semana com essas atividades.

Fonte: site Veja

Pesquisa afirma que 30 minutos de exercícios por dia é o suficiente para dormir bem

Atividade física: 150 minutos semanais são benéficos para o sono e atenção durante o dia

Pessoas que se exercitam mais dormem melhor e ficam mais atentas durante o dia, afirma estudo que será publicado na edição de dezembro do periódico Mental Health and Physical Activity. De acordo com a pesquisa, feita na Universidade do Estado de Oregon, nos Estados Unidos, a prática de 150 minutos de atividade física por semana (30 minutos por dia) já é suficiente para que uma pessoa obtenha tais benefícios.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Association between objectively-measured physical activity and sleep, NHANES 2005-2006

Onde foi divulgada: periódico Mental Health and Physical Activity

Quem fez: Paul D. Loprinzi e Bradley J. Cardinal

Instituição: Universidade do Estado de Oregon, Estados Unidos

Dados de amostragem: 2.600 homens e mulheres entre 18 e 85 anos

Resultado: Pessoas que praticam pelo menos 150 minutos de atividade física de intensidade moderada a intensa por semana melhoram em 65% a qualidade do sono, têm 65% menos cansaço durante o dia, 68% menos cãibras quando dormem e 45% menos desatenção

O estudo analisou 2.600 homens e mulheres com idades entre 18 e 85 anos que passaram pelo Levantamento e Exame de Saúde e Nutrição Nacional (NHANES, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, em 2005 e 2006. Os pesquisadores levaram em conta diversos hábitos dessas pessoas, como prática de exercícios, condições de saúde, se eram fumantes e se dormiam bem.

Aqueles que praticaram 150 minutos semanais de atividades físicas de intensidade moderada a pesada, que é a quantidade de exercício recomendada órgãos de saúde americanos, tiveram uma melhora de 65% na qualidade do sono.
As pessoas que seguiram essas diretrizes também se tornaram 65% menos propensas a sentirem cansaço durante o dia do que aqueles que se exercitaram menos. Além disso, os mais ativos revelaram ter 68% menos cãibras durante o sono e eram 45% mais atentos mesmo quando se sentiam cansados.
"Nós usamos as diretrizes nacionais de atividade física estabelecidas para a saúde cardiovascular, mas acabamos descobrindo que elas também têm um efeito positivo em outras áreas da saúde", diz Brad Cardinal, professor de ciência do exercício da Universidade do Estado de Oregon e um dos autores do estudo.

Para o pesquisador, os resultados devem incentivar a prática de atividade física como uma alternativa aos remédios para melhorar o sono. "Devemos sempre lembrar que o exercício físico oferece uma série de benefícios para a saúde e ainda ajuda a manter uma pessoa alerta", afirma.

"Nossas descobertas demonstram uma ligação entre atividade física e diminuição da sonolência durante o dia e sugere que a prática regular de exercícios pode influenciar positivamente a produtividade de um indivíduo no trabalho ou nos estudos, por exemplo", afirma o principal autor do estudo, Paul Loprinzi.

Fonte: site da revista Veja
 

Cientistas americanos criam chiclete que ajuda a emagrecer

Chiclete pode ser nova arma na luta contra a balança
Em breve, os gordinhos na luta contra a balança poderão ganhar um pequeno - mas forte - aliado: pesquisadores americanos trabalham no desenvolvimento de um chiclete que ajudará na perda de peso. Cientistas da Universidade de Syracuse estudam maneiras de adicionar à goma de mascar o hormônio PYY, importante para trazer a sensação de saciedade ao organismo. O mecanismo seria similar ao dos chicletes que buscam ajudar fumantes a deixar o cigarro. O estudo foi publicado no periódico Journal of Medicinal Chemistry, da Sociedade Americana de Química.

O PYY humano é parte de um sistema químico que regula o apetite e a energia do corpo. Quando a pessoa se exercita ou se alimenta, o PYY é liberado na corrente sanguínea, em uma quantidade que aumenta conforme o número de calorias consumidas. Estudos anteriores haviam demonstrado que pessoas obesas têm concentrações menores de PYY no sangue - tanto em jejum quanto após comerem –, quando comparadas aos não-obesos. Além disso, injeções de PYY em um grupo de voluntários (obesos e não-obesos) aumentaram os níveis do hormônio e reduziram o número de calorias consumidas em ambos os grupos.
“O PYY é um hormônio supressor do apetite”, diz Robert Doyle, da Universidade de Syracuse e coordenador da pesquisa. “Mas, quando ingerido oralmente, o hormônio é destruído no estômago. O que não é destruído tem dificuldade em atravessar para a corrente sanguínea através do intestino.”

Pesquisa - Era preciso, então, algo que servisse como um disfarce para que o PYY conseguisse passar pelo sistema digestivo relativamente ileso. Há vários anos, Doyle desenvolveu uma maneira de usar a vitamina B12 como um veículo para a entrega via oral do hormônio insulina. A B12 é capaz de atravessar o sistema digestivo com certa facilidade e carregar com ela a insulina, ou outras substâncias, para a corrente sanguínea. Da mesma maneira, os pesquisadores adicionaram o PYY à B12. “A fase um do estudo demonstrou que poderíamos levar quantias clinicamente relativas de PYY ao sangue”, diz Doyle. “Os resultados foram muito animadores.”

O próximo passo envolve encontrar maneiras de inserir o sistema B12-PYY dentro de gomas de mascar ou de comprimidos orais. A ideia é criar um suplemento nutricional para ajudar na perda de peso, da mesma maneira que chicletes ajudam fumantes a parar de fumar. “Se tivermos sucesso, o chiclete com PYY será uma maneira natural de perder peso”, diz Doyle. “Eles poderiam comer uma refeição balanceada, depois mascar um chiclete. O suplemento de PYY iria começar a ter efeito dentro de três a quatro horas, diminuindo o apetite conforme chega o horário da próxima refeição.”

Fonte: site da revista Veja

Você adora comer pão com manteiga? Aproveite está liberado =))




















Boa notícia para quem adora um pão na chapa com manteiga. Ele está liberado. Uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo mostrou que o consumo moderado de manteiga ou margarina não aumenta o risco de doenças cardiovasculares nesses pacientes.

Participaram do estudo 66 voluntários, que, num primeiro momento, deixaram de ingerir a gordura. Depois, eles foram divididos em quatros grupos, que consumiram por dia: 15 g de manteiga; 18 g de margarina com gorduras trans; 36 g de margarina sem gorduras trans; e 30 g de margarina com fitoesterol, substância que reduz o colesterol ruim no sangue. Depois de 35 dias, a quantidade de proteínas que indica o risco de infarto permaneceu igual nos voluntários. O tempo para a mudança de dieta influenciar na quantidade dessas moléculas é de 28 dias.

Fonte: revista womens health

Amnésia e lapsos de memória são a mesma coisa?

Lapsos de memória são comuns e mais saudáveis do que parece
Foto: Dreamstime

As pessoas se preocupam muito com a memória, exagerando a importância de lapsos (absolutamente normais!) e comparando-os à amnesia, um problema sério. "O saudável é não se lembrar de tudo. As pessoas precisam parar com tantas cobranças a cada lapso de memória que eventualmente acontece", diz a neurocientista Suzana Herculano-Houzel, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro e autora do livro "Pílulas de Neurociência para uma Vida Melhor" (Ed. Sextante).

Recordar é viver

"Ao acordar, sabemos quem somos, quem dorme do nosso lado, como preparar o café, o que fizemos ontem e que tarefas teremos hoje", diz a psicóloga Lílian Stein, professora da PUC gaúcha. "A gente só percebe quando ela 'falha' ao esquecer uma senha ou a chave do carro." Para Lílian, a maior parte das pessoas tem ótima memória. "Lapsos ocasionais são normais. Já quem sofre de amnésia, por doenças como o Alzheimer, em geral não percebe a perda de memória", afirma. Sem contar que muitos esquecimentos decorrem de distração por estar às voltas com atividades simultâneas ou excessivas. "A falta de concentração prejudica o registro do fato, e um registro fraco dificulta a evocação posterior", explica o professor de neurologia e neuropsicologia Benito Damasceno, da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp.

Como ocorre a amnésia? 

Ao contrário dos lapsos, a amnésia é resultado de problemas sérios, como traumas, doenças degenerativas ou acidente. Conheça o processo:

1. Em alguns casos de traumas, doenças degenerativas ou acidentes que provocam lesões cranianas, os neurônios são atingidos e quebram-se as sinapses, as ligações entre as células nervosas.
 
2. O hipocampo, pequena estrutura localizada no cérebro, processa as informações captadas pelos sentidos e as envia para diversos pontos do córtex, a superfície cerebral, onde serão consolidadas e armazenadas.
 
3. Em consequência, perdem-se as lembranças recentes, ou seja, aquelas apreendidas há dois ou três anos. E deixam de ser assimiladas novas informações. Mas as de longa data, já consolidadas, nunca se apagam.

Para lembrar

Apesar da "falha" eventual de memória ser normal, o aumento do uso de tecnologias tem feito com que muitas informações não sejam nem armazenadas pelo cérebro. Afinal, caso seja preciso lembrar-se de algo, basta acessar o arquivo eletrônico ou então fazer uma busca na internet, certo? Errado! Treinar a memória continua sendo importante para que os lapsos não causem incômodos. Confira então algumas dicas para exercitá-la!

· Preste bastante atenção às informações que recebe. Caso contrário, os mecanismos naturais de fixação do conhecimento não funcionam. Notar os detalhes auxilia a recordar rostos, nomes e ocasiões.

· Tente dormir bem - respeitando a quantidade de horas necessárias para seu organismo -, pois a fixação de novos dados ocorre durante o sono.

· Pratique atividades que exijam concentração e raciocínio, tais como ler, resolver palavras cruzadas e entreter-se com jogos e brincadeiras do tipo xadrez e dama ou mímica.

· Utilize técnicas de memorização. Elas consistem em estabelecer associações entre o que deseja lembrar e algo que já sabe e também em criar enredos para as informações. Por exemplo, um número de telefone pode ser dividido e associado à idade de pessoas íntimas. Ou, se você precisa comprar laranja e fermento no supermercado, imagine uma laranja que atingiu um tamanho gigantesco por causa do fermento. Pode parecer ridículo, mas funciona.

· Procure se envolver afetivamente com o assunto que quer gravar associando-o ou comparando-o a eventos agradáveis ou desagradáveis que você já vivenciou.

· Crie uma rotina fixa para as tarefas diárias e coloque seus objetos pessoais (chaves, agenda, óculos) sempre no mesmo lugar. Dessa forma é provável que perca menos coisas.

· Anote, escreva, copie. Esse hábito estimula a memória visual e ajuda a reter principalmente nomes e números.

Fonte: site MdeMulher

Pouca atividade física e muita televisão aumentam risco de depressão em mulheres

Atividade física e pouca televisão: hábitos como esses foram relacionados com menos incidência de depressão em mulheres
Mulheres que se exercitam mais e assistem menos televisão são aquelas com menor riscos de serem diagnosticadas com depressão. É isso que diz um estudo feito por pesquisadores da Escola de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos, e publicado no American Journal of Epidemiology.

A pesquisa aplicou um questionário a quase 50 mil mulheres, com perguntas sobre saúde e estilo de vida, as quais elas responderam a cada dois anos no período entre 1992 e 2006. No início do estudo, nenhuma dessas mulheres apresentava depressão. Após esses 14 anos, 6.500 voluntárias haviam sido diagnosticadas com o problema.

Resultados — O estudo observou que o fator mais impactante relacionado aos quadros depressivos foi a prática de atividade física. As mulheres que revelaram se exercitar durante 90 minutos ou mais por dia tinham 20% menos chances de desenvolver depressão do que aquelas que se exercitavam por 10 minutos ou menos diariamente.

"Atividade física praticada por mais tempo pode aumentar a autoestima, o senso de controle e os níveis de endorfina no sangue da mulher", explica Michel Lucas, coordenador do estudo.

Assistir televisão foi identificado como hábito relacionado à depressão. Segundo a pesquisa, as mulheres que passavam mais tempo em frente ao aparelho apresentaram 13% mais riscos de ter depressão do que aquelas que raramente ligavam a TV. Segundo Lucas, uma possível explicação para essas duas relações está no fato de que muitas mulheres substituem o tempo em que poderiam praticar alguma atividade física por ficar em frente à televisão.

Embora o estudo tenha colocado a depressão como consequência de não praticar atividade física, os pesquisadores também consideram a hipótese de que, em certos casos, a mulher possa ter experimentado alguns sintomas da depressão antes de ser diagnosticada formalmente com o problema. Assim, deixou de se exercitar após ser acometida pelo problema, e não antes.

Saúde e televisão

Vários estudos já apontaram para os prejuízos que o hábito de assistir muita TV pode causar. Conheça alguns:

  1. Piora na alimentação — Um estudo feito na Universidade de Loughborough, do Reino Unido, concluiu que quanto mais tempo uma pessoa passa em frente à televisão, pior é a qualidade daquilo que come. Assistir TV está associado com o consumo de lanches, bebidas e fast foods com maior quantidade de calorias e baixa ingestão de frutas e legumes.
  2. Menor aprendizagem Segundo recomendações lançadas neste ano pela Academia Americana de Pediatria (APP), as crianças aprendem e desenvolvem mais o cérebro brincando do que assistindo TV. Um estudo feito pela Universidade de Montreal, no Canadá, indicou que, a cada hora que uma criança passa em frente à televisão, há uma declínio de 6% em seu desempenho matemático e 7% de sua participação em sala de aula.
  3. Hipertensão Uma pesquisa publicada no periódico Archives of Pediatrics & Adolescent relacionou tempo demais em frente à televisão e ao computador com o aumento da pressão sanguínea das crianças
  4. Problemas psicológicos — Hiperatividade, dificuldades nos relacionamentos sociais e problemas emocionais foram alguns dos problemas observados por estudo publicado no periódico Pediatrics em crianças que passavam duas ou mais horas em frente à TV ou ao computador ao dia
Fonte: revista Veja

Tomar cerveja todos os dias faz bem à saúde do coração

Cerveja: consumo moderado e rotineiro da bebida pode ser benéfica para a saúde do coração

Cerveja: consumo moderado e rotineiro da bebida pode ser benéfica para a saúde do coração (Creatas/Getty Images)
A cerveja foi elevada ao status do vinho no que diz respeito aos benefícios à saúde. Uma pesquisa conduzida pelo instituto italiano Research Laboratories, da Fondazione di Ricerca e Cura Giovanni Paolo II, mostra que o consumo moderado da bebida faz bem ao coração. O estudo foi publicado nesta terça-feira na edição on-line do European Journal of Epidemiology.
Leia também: Os benefícios do álcool à saúde
De acordo com a pesquisa, tanto o vinho quanto a cerveja podem ter efeitos positivos ao coração - desde, é claro, que sejam consumidos sem excessos. É importante ressaltar que nenhum estudo jamais relacionou quaisquer benefícios à ingestão de grandes quantidades de bebida alcoólica — pelo contrário, o consumo em excesso só oferece prejuízos à saúde.
Durante a fase de levantamento de dados, a equipe usou uma abordagem estatística de meta-análise, agrupando diferentes estudos mundiais anteriores para chegar a um resultado global. Desta forma, foi possível examinar dados de mais de 200.000 pessoas, para as quais os hábitos de consumo alcoólico foram associados com doenças cardiovasculares.
Os resultados confirmam o que já era sabido sobre o vinho: o consumo moderado (cerca de duas taças por dia para homens e uma para mulheres) pode reduzir os riscos para doenças cardiovasculares em até 31%, frente aos abstêmios. A novidade da pesquisa, no entanto, é que ela reúne pela primeira vez evidências do efeito benéfico da cerveja: uma caneca da bebida ao dia (500 mililitros) é capaz de proteger o coração, em variedades de cerveja com teor alcoólico de 5%. Além de ter graduação alcoólica baixa, a cerveja contém ainda ácido fólico, vitaminas, ferro e cálcio - nutrientes que protegem o sistema cardiovascular.
“Na nossa pesquisa, nós consideramos o vinho e a cerveja separadamente: você primeiro observa uma redução no risco cardiovascular com o consumo baixo a moderado. Então, conforme há um aumento no consumo, é possível ver as vantagens desaparecerendo, até que o risco aumenta. Pudemos observar ainda que a curva de risco para as duas bebidas praticamente se sobrepõem”, diz Simona Costanzo, responsável pela pesquisa.
Precaução - Mas a cerveja, assim como o vinho, deve ser consumida com moderação. Segundo Augusto Di Castelnuovo, chefe da Unidade de Estatística do Research Laboratories e pioneiro nos estudos epidemiológicos sobre o álcool, os dados encontrados no estudo não devem ser extrapolados para todas as pessoas. “Em mulheres jovens, ainda no seu período fértil, o álcool pode, por exemplo, aumentar um pouco os riscos para alguns cânceres. Isso pode contrabalancear os efeitos positivos para o coração”, diz Castelnuovo.
Os pesquisadores não conseguiram responder ainda se os efeitos positivos para a saúde cardiovascular são um resultado do álcool em si ou de algumas substâncias presentes nas bebidas.
Fonte: Revista Veja 

Protetor solar em excesso pode afetar a saúde óssea




















O verão começa às 03:30 do dia 22 de dezembro. E enquanto muitos sonham em divertir-se nas praias e piscinas, outros não ousam expor-se ao sol. Este é um comportamento de risco para o desenvolvimento da osteoporose, principalmente para pessoas de pele clara. Passar a vida inteira evitando a exposição ao sol pode deixar o organismo deficiente de vitamina D. Um número crescente de pessoas - um em cada três adultos - sofre de deficiência de vitamina D devido à falta de exposição ao sol e à má alimentação. Esta condição aumenta o risco de osteoporose e fraturas em até 60%.

É preciso saber que cerca de 90% da vitamina D no nosso organismo é produzida pela pele com a ajuda da luz solar. Os raios ultravioleta convertem o colesterol em vitamina D e, por isso, são importantes para nossa saúde. Algumas pessoas defendem que a vitamina D pode ser conseguida através do consumo de alguns alimentos. Isso, de fato, é verdade, mas apenas uma pequena parte do que precisamos é obtida por meio da dieta. 

Os raios ultravioleta convertem o colesterol em vitamina D e, por isso, são importantes para nossa saúde.

Exposição solar com equilíbrio


Não há dúvidas que o risco de câncer de pele é real, e que o cuidado com a exposição solar deve acontecer. Há uma linha tênue entre a obtenção de uma quantidade suficiente de vitamina D e o de não ter aumentando o risco de câncer de pele. Usar um protetor solar fator 50, por exemplo, pode diminuir a síntese de vitamina D em 95%, o que efetivamente pára a produção do nutriente no organismo, prejudicando a saúde dos ossos.

Mas, como conseguir aliar a saúde dos ossos com a saúde da pele? É preciso entender que todos precisam de alguma exposição ao sol com a pele desprotegida, mas o tempo desta exposição varia de indivíduo para indivíduo. Em geral, quanto mais rápido sua pele tende a queimar, mais rápido seu organismo produz vitamina D. Assim, uma pessoa de pele muito clara não precisará mais do que 10 minutos ao sol sem proteção para diminuir as chances de perda óssea. Outra medida útil é a exposição sem proteção em horários em que o sol não está muito forte, ou seja, antes das 10 horas da manhã e depois das 14 horas da tarde.


Fonte: site minha vida

11 maneiras simples de aumentar a energia diária



Pequenas atitudes podem ajudar a ganhar mais disposição. Foto: Getty Images Foto: Getty Images

Com a chegada do verão é comum ouvir reclamações sobre as altas temperaturas e a sensação de falta de energia que ela traz. Dar conta de todos os compromissos da agenda pode ficar ainda mais difícil nessa época. Pois saiba que pequenas atitudes podem ajudar a ganhar mais disposição.

Assim reunimos algumas dicas publicadas no site Savvy Miss, tiradas do livro 365 Energy Boosters, de Susannah Seton e Sondra Kornblatt. Confira:

Beba muito líquido
Muitas pessoas não bebem líquido o suficiente para equilibrar a perda de suor de atividade física. O corpo precisa de água! É necessário que a pessoa se hidrate o dia inteiro, se possível, diz Lôua Unger, coordenadora técnica do W SPA, no Rio de Janeiro.
Faça pilates
"O pilates aperfeiçoa a respiração e potencializa a capacidade respiratória. A execução de todos os exercícios são sincronizados com a respiração, dando qualidade ao movimento e acalmando o aluno", conta Laura Muniz, professora de pilates do Espaço Lavanda. O exercício pode ser praticado por todas as idades, inclusive grávidas, que podem praticar sem medo. Além do controle da ansiedade, o exercício também ajuda a melhorar a qualidade de vida. "O trabalho do pilates ajuda a controlar a respiração, age com melhorias no sono, cria força, aumenta a flexibilidade, melhora a postura, aumenta a energia, além de ser um exercício que favorece o corpo inteiro, não agindo apenas em um local", completa Laura.

Pense positivo
"Esse é o primeiro passo para abrir a mente e possibilitar que ela se encha de pensamentos bons o que dá disposição imediata para começar a ter mais ânimo e dar mais energia ao corpo", conta Leila Monassa, proprietária do Espaço Lavanda, em São Conrado.

Alterne banhos frios e quentes
É uma técnica conhecida para despertar o corpo rapidamente. Dá um chacoalhão no metabolismo e na circulação sanguínea, aumentando a sensação de energia.

Beba chá verde
Na década passada, muitas pesquisas exploraram os benefícios do chá-verde. Estudos provaram que a bebida tem baixas concentrações de cafeína, apenas um quarto da encontrada no café, e que garante mais disposição física ao corpo. A responsável pela dose extra é a catequina, que estimula os processos químicos no cérebro.

Masque chiclete
Colocar a mandíbula para se movimentar pode ajudar a aumentar a energia. E escolha de preferência as gomas de menta. Estudos apontam que isso estimula a mesma parte do cérebro responsável por fazer uma pessoa despertar pela manhã.

Dê uma boa esfregada no corpo
Esfregar o corpo ajuda a aumentar a circulação, estimulando o fluxo em direção ao cérebro. A dica é fazer isso na região entre a nuca e o pescoço, massageando os músculos longos atrás do pescoço. Faça movimentos para cima e para baixo e depois siga o contorno do crânio até a região das orelhas.

Coma banana
Faça como os jogadores de tênis que fazem da banana sua companheira de quadra, momento em que é necessário repor as energias. Ricas em potássio, também são excelentes fontes de açúcar, ajudando a melhorar a performance por cerca de duas horas. E ainda são fáceis de carregar para qualquer lugar.
Explore sua energia sexual
A prática sexual pode relaxar, energizar, reequilibrar o corpo. Explore seus sentidos para aumentar sua energia.

Sono da realeza
O cansaço e desânimo é sinal de que é preciso recarregar as baterias. "Durma bem, mesmo que seja apenas no seu dia de folga. Para cansaço, nada melhor que descansar de verdade", afirmou Lôua. Durante o sono produzimos o hormônio do crescimento (GH), cuja carência facilita o acúmulo de gordura, deixam os músculos flácidos, os ossos fracos e o corpo sem ânimo.

Não durma demais
É importante descansar, mas isso não significa que vale passar um fim de semana inteiro na cama, a fim de compensar noites mal dormidas. Isso só irá resultar em mais cansaço. Quando o ciclo de sono é alterado em mais de duas horas, os mecanismos de acordar e dormir ficam bagunçados. Tente manter os mesmos horários para ir para a cama e também para sair dela.

Fonte: Terra

Oito nutrientes que ajudam a controlar os sintomas da TPM


















Mês a mês o organismo feminino passa por mudanças hormonais decorrentes da variação dos níveis de estrógeno e progesterona. Todos sabem que as alterações nos hormônios decorrentes do período pré-menstrual podem afetar significativamente o humor, a sensibilidade e algumas funções fisiológicas da mulher.

Os sintomas começam de 10 a 14 dias antes do início do período menstrual e se agravam progressivamente até a chegada da menstruação. O que isso significa? Significa que durante metade de cada mês, ao longo de sua vida adulta em período reprodutivo, milhões de mulheres não se sentem totalmente confortáveis ou bem fisicamente.

Existem aproximadamente 150 sintomas relacionados à Tensão Pré-menstrual, sendo eles manifestações psicológicas, físicas e comportamentais. As mais comuns são a irritabilidade, ansiedade, oscilação de humor, compulsão por doces e carboidratos, inchaço, prisão de ventre entre outros.

A quantidade de estrógeno e progesterona sobe durante a segunda metade do ciclo menstrual, que tem seu equilíbrio afetado por alguns fatores, como a quantidade produzida pelo ovário e a eficácia com que estes hormônios são decomposta e eliminada pelo fígado, sendo excretados pelo rim.

Algumas mulheres sofrem mais do que as outras com os sintomas da alteração nos níveis hormonais e é por esse motivo que cada situação pede um tratamento diferente. É possível fazer uso de suplementos nutracêuticos e remédios que podem aliviar os sintomas, mas o estado emocional e os hábitos de vida e nutricionais podem afetar a eficácia deste sistema. Estudos publicados mostram que o desequilíbrio nos níveis hormonais sofre influência de alguns fatores nutricionais e é de suma importância a real mudança de comportamento.

A dieta indicada para aliviar e prevenir a TPM consiste em evitar alimentos que pioram o quadro, como aqueles com alto teor de açúcar, cafeína, chá, refrigerantes a base de cola, gorduras saturadas, alimentos com excesso de sal, processados e cheios de aditivos químicos.

Alguns alimentos podem amenizar esses sintomas e o tratamento da TPM. De maneira geral basta ter e manter uma dieta equilibrada , rica em nutrientes como ácidos graxos, além de praticar exercícios físicos e em alguns casos mais graves, entrar com medicamentos alopáticos.

Veja abaixo alguns nutrientes importantes para a melhora e manutenção de sua saúde:

Cálcio: Alivia as dores de cólica e a irritabilidade .
Fontes: Folhas verde escuro (couve e brócolis),leite e seus derivados .

Magnésio: Melhora as alterações do humor e a irritabilidade.Este mineral complementa o cálcio.
Fontes : Arroz integral, folhas verdes escuras, brotos germinados ,grão de bico.

Ácidos graxos(poliinsaturados): Reduz o inchaço, a perda óssea e diminui a irritabilidade.
Fontes: Ômega 3 e 6 (óleo de peixe do mar , salmão, atum )e semente de linhaça.

Vitamina C: Ela atua na produção dos neurotransmissores ,melhorando o sono e a ansiedade.
Fontes: Kiwi, acerola, abacaxi, morango ,limão ,laranja, goiaba, caju.

Vitamina B12: Combate a anemia, sua falta pode ocasionar fraqueza e desânimo.
Fontes: Levedo de cerveja, carnes vermelhas ,laticínios, frango, peixe e frutos do mar.

Vitamina B6: Melhora o enjôo, as dores de cabeça e diminui a irritabilidade. Melhora a produção de seratonina (neurotransmissor responsável pelo prazer e bem estar)
Fontes: Arroz integral, gérmen de trigo, aveia, nozes, amendoim , fígado de boi, folhas verdes e leguminosas.

Vitamina B1: Atua na produção da Serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem estar.
Fontes: arroz integral, aveia, gema de ovo, semente de linhaça, semente de girassol, semente de gergelim.

É importante neste período, principalmente, dar preferência aos alimentos com pouco sal para não reter líquidos. Para as que sofrem mais com a irritabilidade e ansiedade, caprichar em alimentos que contenham carboidratos complexos (cereais integrais, pão e arroz integral). Esse nutriente fornece energia e ajuda o intestino a funcionar melhor, diminuindo a irritabilidade.



Fonte: site Minha Vida

Monte um prato saudável que melhora o astral

Espinafre e arroz preto
Espinafre e arroz preto
Foto: Dercílio/SAÚDE! e Divulgação

Um prato saudável pode fazer muito mais do que deixar o seu organismo em ordem. Ele também é capaz de tornar você mais feliz. Basta escolher os alimentos que aumentam os níveis de serotonina, dopamina e noradrenalina do corpo.

Essas substâncias são a chave para a felicidade: promovem uma boa comunicação entre as células do cérebro e são responsáveis pela sensação de bem-estar. Os alimentos a seguir contêm aminoácidos presentes em sua composição. Confira:

Folhas verde-escuras (espinafre, na imagem acima, à esquerda)
Se ingeridas cruas, elas têm ácido fólico, substância que interage com a serotonina e com a noradrenalina.

Arroz preto
Como todo carboidrato, libera insulina no sangue e facilita a entrada do triptofano no cérebro. Sua vantagem é que demora mais a ser digerido e aumenta a sensação de saciedade.

Trigo germinado
Rico em B6 e E, vitaminas importantes para a formação de serotonina e dopamina. Melhora a sensação de cansaço e diminui a vontade de comer doces.

Baru
A castanha tem ômega-3 e selênio, anti-inflamatórios e antioxidantes que ajudam a regular o humor.

Grão-de-bico
Rico em cálcio, ferro, magnésio e triptofano, o principal componente da serotonina.

Cebola roxa e beterraba
Cebola roxa e beterraba
Foto: Alex Silva/SAÚDE! e Fabiana Bertone/ANAMARIA

Cebola roxa e salsinha
Têm flavonoides e antioxidantes que combatem o estresse e os radicais livres, moléculas que danificam as células.

Beterraba
Rica em proteína e vitaminas do complexo B, acalma e ajuda a converter a glicose em energia, aumentando o ânimo.

Broto de lentilha
Além de triptofano, contém tirosina, um aminoácido responsável pelas reações aos estímulos emocionais.


Fonte:  site GLOSS

8 passos para acordar de bem com a vida

 Mulher acorda

O primeiro passo para ter um bom dia é dormir bem
Foto: Dreamstime

Sair da cama de manhã está se transformando num pesadelo para cerca de 70% das brasileiras, segundo estudo do Instituto do Sono da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O dia nasce e elas... continuam cansadas!

Os principais responsáveis pelo problema são a rotina estressante e o caos urbano - eles atrapalham o sono e, por consequência, o rendimento do dia seguinte. "O bem-estar está relacionado à qualidade e à duração do sono. Todo mundo precisa dormir de seis a nove horas por noite para ter saúde. Quem dorme menos tende a desenvolver doenças", diz a neurologista Dalva Poyares, da Unifesp.

Portanto, o primeiro passo para ter um bom dia é dormir bem. Mas há outros que podemos adotar para iniciar a manhã com pique. "É importante acordar aos poucos, despertar a musculatura e o cérebro, preparando-os para a jornada", afirma a personal trainer Mônica Valadão, da academia Bio Ritmo (SP). Assim ganhamos uma injeção de energia e evitamos dores na coluna, enxaqueca e outros males.

Veja oito dicas para começar bem o dia:

1. Respire e entoe um mantra

Nada tem um efeito tão imediato sobre o nosso humor quanto a respiração. ao acordar, respire fundo, enchendo de ar não só os pulmões, mas todo o abdome - é a chamada respiração completa. Ao expirar, entoe o mantra "om" (pronuncia-se "oum"), som poderoso que representa a vibração primordial do universo.

Siga a orientação de Liz Lark, autora do livro 1001 Pérolas de Sabedoria da Ioga (Ed. Publifolha): "inspire profundamente. ao expirar com a boca, deixe o som 'ooo' subir, transformar-se um 'uuu' nos lábios, terminando com um 'mmm' suave ao fechá-los. Repita até se sentir desperta".

2. Dê uma boa espreguiçada

Já reparou como cães e gatos alongam-se com frequência? Esse é um hábito fundamental pela manhã. "Ao tracionarmos a musculatura, despertamos o corpo, eliminando tensões provocadas pela má postura do sono, incontroláveis durante a noite", diz Beto Alves, instrutor de ioga (SP).

Faça cada um dos movimentos abaixo por dez segundos:

· Leve os braços para cima e a ponta dos pés para baixo, como se alguém puxasse você;
· Puxe uma perna de cada vez e agarre-a colada ao corpo;
· Vire os joelhos para um lado e o tronco para o outro;
· Sentada, gire a cabeça devagar - assim você relaxa pescoço e nuca e leva o sangue ao cérebro;
· De pé, puxe um braço de cada vez na frente do corpo e alongue-o lateralmente. Depois leve um calcanhar ao bumbum e repita o exercício do outro lado.

3. Ouça a sua música favorita

Nada melhor que acordar ao som de Ivete Sangalo, Luan Santana ou do seu artista predileto. Nessa hora, "o que vale é o estilo de música que lhe agrada", diz Maristela Smith, coordenadora do curso de musicoterapia da FMU (SP).

Separe uma lista de músicas que fazem parte da sua vida e que deixaram lembranças positivas. Depois grave um CD (ou baixe as canções em seu mp3), coloque os fones de ouvido para não ser interrompida e aperte o play. Curta a seleção por dez minutos antes de se levantar. "A terapia vai deixar o seu corpo, cérebro e mente mais dispostos para encarar o dia", diz.

Lista de músicas para acordar de bem com a vida

Tem para todos os gostos!

· "Beautiful day", do álbum All That You Can´t Leave Behind (2000), U2
· "Me abraça, me beija", do álbum Banda Eva ao Vivo (1997), Banda Eva
· "Three Little Birds", do álbum Exodus (1977), Bob Marley & The Wailers
· "Shiney Happy People", do álbum Out of Time (1991), R.E.M
· "Café da manhã", do álbum Roberto Carlos (1978), Roberto Carlos
· "Feat Pitbull - On the Floor", do álbum de mesmo nome (2011), Jennifer Lopez
· "Aquarela", do álbum de mesmo nome (1983), Toquinho
· "Here Comes the Sun", do álbum Abbey Road (1969), Beatles
· "A felicidade", do álbum Tom Jobim (1987), Tom Jobim
· "Ray of Light", do álbum de mesmo nome (1998), Madonna

4. Faça uma automassagem

Tocar o rosto desperta os músculos e alivia tensões, diz a esteticista Roseli Siqueira (SP). Usando um creme para os olhos, faça esta massagem: com os dedos médios, pressione o canto externo das pálpebras. Depois deslize-os para as laterais, firme-os nas têmporas e faça movimentos circulares até se sentir relaxada.

5. Leia algo positivo

Toda manhã, leia uma frase ou um texto inspirador. Esse exercício vai ajudá-la a encarar a jornada com olhos otimistas. Para a psicóloga Diana Bast (SP), "essas mensagens podem mudar a sua motivação e aumentar a probabilidade de coisas boas acontecerem".

6. Tome um banho energizante

"Massagear o corpo com bucha vegetal ou sabonete esfoliante remove as células mortas da pele, estimulando os sistemas linfático e circulatório", conta a esteticista iris Cruz (SP). Produtos com aroma de alecrim, hortelã ou limão ajudam a despertar. Se não der tempo para tomar uma ducha, pelos menos lave o rosto com água gelada: ela acaba com a cara de cansaço e faz você acordar a todo vapor.

7. Exercite-se

"Praticar uma atividade aeróbica no início do dia ajuda a oxigenar a musculatura e a turbinar a energia", diz a personal trainer mônica Valadão (SP). Mexa-se por meia hora, ao menos três vezes por semana.

8. Capriche no café da manhã

"A primeira refeição do dia é essencial para fazer o cérebro funcionar melhor", diz a nutricionista Roseli Rossi (SP). O café da manhã ideal inclui alimentos energéticos (pães integrais, oleaginosas), construtores (leite e derivados) e reguladores (frutas e sucos naturais).

fonte: site MÁXIMA

Acabe com a depressão sem usar remédio

O ioga é uma prática bastante benéfica ao combate da depressão
Foto: Dreamstima

Procurar um especialista para tratar problemas de depressão é imprescindível. E muitas vezes, se faz necessário o uso de remédios para o tratamento. Entretanto, já se sabe que algumas atitudes simples também podem ajudar no combate ao problema sem, necessariamente, o consumo de produtos medicinais.

Adorar um animal de estimação, por exemplo, é muito benéfico. Estudos revelam que brincar com um cão ou gato combate a tristeza e mantém a mente ocupada, um primeiro passo para a felicidade. Se você tem se sentido triste e desanimada sem nenhum motivo aparente, consulte um médico e confira as dicas abaixo para melhorar seu bem-estar:

Relaxe a tensão

Sentada, tire os sapatos e pise em uma bolinha de tênis, rolando-a por toda a planta do pé por cerca de 2 minutos. Depois, repita os movimentos com o outro pé.

Acerte a cor

Levantou desanimada e não tem vontade de sair de casa? Monte um look com alguma peça laranja, nem que seja um lenço. A cor espanta o baixo-astral e estimula a alegria.

Pratique ioga

A técnica trabalha respiração, concentração, equilíbrio e postura. Você relaxa e, ao mesmo tempo, pratica exercício, liberando no corpo o hormônio da felicidade.


Fonte:  site ANAMARIA

O que beber (ou não) nos dias quentes

A água de coco está aprovadíssima para um dia de calor
Foto: Getty Images

Nos dias quentes, uma bebida fresquinha não pode faltar. Mas será mesmo que as escolhas feitas são adequadas? Nem sempre aquele suco ou chá, por exemplo, são as melhores pedidas. Descubra então o que pode, o que não pode e o que deve ser consumido com moderação.

1. Água de coco - Aprovado!

· Por quê?
É rica em sais minerais, como sódio, potássio e magnésio. "É excelente para prevenir inchaço e retenção de líquido", de acordo com a nutricionista Thatiana Galante, da Triathon Academia, de São Paulo.
· Calorias
1 copo (200 ml) tem cerca de 60 calorias.

2. Caipirinha - Melhor não!

· Por quê?
"Ela engorda, pois tem álcool e açúcar", diz a nutricionista Roseli Ueno, de São Paulo. Acontece o mesmo na versão com adoçante se ingerida em excesso.
· Calorias
1 copo (200 ml) com adoçante tem 130 calorias. Com açúcar, 180.

3. Cerveja - Melhor não!

· Por quê?
"Gelada, a cerveja baixa a temperatura e traz a sensação de matar a sede, contudo não hidrata o organismo", explica Roseli. Ao contrário: ela estimula a desidratação e engorda.
· Calorias
1 copo (300 ml) contém 130 calorias.

4. Chá - Pegue leve

· Por quê?
O de saquinho, sem açúcar, é ótimo gelado, hidrata e é pouco calórico. Entre os industrializados, "alguns têm cafeína, que pode irritar o estômago e alterar o sono", alerta Thatiana.
· Calorias
De saquinho e sem açúcar: 4 calorias. Um copo (200 ml) do pronto tem 100 calorias. O light, 13.

5. Energético - Melhor não!

· Por quê?
Eles têm nutrientes que podem aumentar o peso e desidratar.
· Calorias
1 lata (250 ml) tem 100 calorias.

6. Isotônico - Pegue leve

· Por quê?
Hidrata e repõe os carboidratos perdidos. "Entretanto, o consumo excessivo pode sobrecarregar os rins e engordar", comenta Thatiana.
· Calorias
1 garrafa (473 ml) tem cerca de 108 calorias.

7. Refrigerante light - Pegue leve

· Por quê?
Tem adoçantes e gás, "o que aumenta o abdome e dificulta a digestão", afirma Thatiana.
· Calorias
1 lata (350 ml) tem entre 1 e 4 calorias.

8. Suco industrializado - Pegue leve

· Por quê?
É rico em minerais e vitaminas, mas são calóricos.
· Calorias
1 copo (200 ml) tem entre 80 e 140 calorias.

9. Suco natural - Pegue leve

· Por quê?
Traz vitaminas e minerais importantes, como a vitamina C, mas é calórico se for adoçado com açúcar.
· Calorias
1 copo (200 ml) varia de 0 a 180 calorias, conforme o suco.

Fonte: site Mais Feliz