Tomate, castanhas, chocolate, azeite e linhaça ajudam a proteger o coração

Coração saudável valendo (Foto: Arte/G1)


Chocolate amargo, amendoim, azeite, vinho, abacate e alguns tipos de margarina podem, a princípio, parecer alimentos muito gordurosos, mas se consumidos com moderação são capazes de beneficiar o coração e até aumentar a longevidade.
Esses “cardioprotetores”, como são conhecidos, têm o poder de reduzir o mau colesterol (LDL), os triglicérides, a pressão arterial e o peso, além de evitar o endurecimento das artérias. Também contribuem para melhorar o colesterol bom (HDL) e controlar a circulação sanguínea, o que previne coágulos e derrames.

Para explicar o assunto, o Bem Estar desta terça-feira (20) recebeu o cardiologista Roberto Kalil e a nutricionista Renata Alves, do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, em São Paulo.
Dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia revelam que uma em cada cinco pessoas no mundo tem o colesterol alterado. A entidade recomenda que pacientes de risco tenham no máximo 100 miligramas de LDL por decilitro de sangue. Já o número desejável de HDL é de 40. O limite total para indivíduos em geral não deve passar de 200 mg/dl.
Uma pesquisa realizada pelo Dante Pazzanese com 50 pacientes em tratamento mostrou que a maioria até conhece alguns dos alimentos bons para o coração, mas não sabe qual a quantidade diária recomendada. Já os que receberam informações sobre os benefícios da inclusão desses itens na dieta melhoraram a qualidade de vida.
Todos afirmaram saber de pelo menos um alimento (de uma lista de 17) indicado para cuidar do coração, mas desconheciam os efeitos positivos da maioria.
 


Tipos de gorduras


As gorduras consideradas ruins, como as saturadas (encontradas principalmente em alimentos de origem animal, como carnes gordas, pele de aves, leite integral e derivados) e as trans (presentes em alguns alimentos industrializados, como sorvetes, margarinas, biscoitos e macarrão instantâneo), são as principais responsáveis pelo aumento do colesterol ruim, que leva as partículas de gordura até a parede dos vasos sanguíneos, onde se depositam e podem provocar um entupimento e um consequente infarto do miocárdio.
Mas existem também as gorduras benéficas, como as insaturadas, que se subdividem em monoinsaturadas e poli-insaturadas e, quando consumidas em quantidades adequadas, podem ajudar a reduzir o LDL.
Alguns exemplos desse tipo de gordura boa são os óleos vegetais (azeite, soja, canola, girassol ou milho), as oleaginosas (nozes, castanhas, amêndoas, etc), as sementes oleaginosas (gergelim, linhaça, girassol, abóbora, etc), o abacate, a azeitona e peixes como salmão, atum, truta, anchova e sardinha.

Fonte: G1 - programa Bem Estar

Os benefícios do peixe para a alimentação.


Mais Você 
Com textura macia e paladar único, são inúmeros os benefícios que a carne de peixe traz. Fonte abundante de proteínas, nutrientes e sais minerais, os pescados são aliados preciosos na digestão, na produção de anticorpos, na coagulação do sangue e no controle do colesterol.


Além disso, são extremamente versáteis e de fácil preparo. E o melhor: podem ser adquiridos em conserva (enlatados).

O atum, por exemplo, é um dos pescados especialmente indicados por médicos e nutricionistas pela farta presença de Ômega 3, que previne doenças cardiovasculares e inflamatórias, aumenta o bom colesterol (HDL) e diminui o ruim (LDL) e ainda auxilia no bom funcionamento do metabolismo como um todo. Ainda não se convenceu? Tem mais: é também um forte aliado no combate à ansiedade e à depressão, já que atua diretamente nas células nervosas.

Ainda que não seja seu prato predileto, é uma boa incluí-los no seu cardápio, ao menos duas vezes por semana. Você não vai se arrepender!

A manteiga é mais saudável que a margarina?










A manteiga é mais saborosa. A margarina, mais barata. Mas qual é mais saudável? Segundo a professora do curso de Nutrição da Universidade Anhembi Morumbi, Luciana Setaro, nenhuma das duas. De acordo com ela, “tanto uma, quanto outra são alimentos ricos em gorduras, que podem ser saturadas, e, por isso, devem ser consumidos com moderação.”

A manteiga é um produto derivado do leite, obtida por meio do batimento do creme de leite, rica em gorduras saturadas e colesterol. Já a margarina é resultado da hidrogenação de óleos vegetais, processo no qual moléculas de hidrogênio são incorporadas às moléculas de gordura de modo artificial, transformando gordura insaturada em parcialmente saturada. A primeira, no entanto, tem vitamina D, que não é encontrada na margarina. Esta, por sua vez, está isenta de colesterol, como qualquer produto derivado de óleos vegetais.
De maneira geral, pessoas que apresentam níveis elevados de colesterol no sangue consomem mais margarina que manteiga. Porém, as gorduras trans da margarina inibem a ação de enzimas específicas do fígado, favorecendo a síntese do colesterol. Consequentemente, de forma indireta, o consumo de margarina propicia o aumento dos níveis de colesterol e triglicerídeos e a diminuição do HDL (bom colesterol).

Logo, conforme explica a nutricionista Luciana Setaro, a melhor solução é consumir estes alimentos com moderação ou substituí-los por outros mais saudáveis como requeijão light, cream cheese light ou queijo tipo cottage, que além de serem menos calóricos, oferecem mais nutrientes como cálcio e proteínas. A professora lembra ainda que existem margarinas específicas para quem tem problemas de colesterol ou cardíacos, que, geralmente, são indicadas por um médico.

Fonte: Terra

Comer carboidratos à noite, engorda?















Tem gente que faz e inventa de tudo para voltar a usar aquela velha calça jeans. Algumas pessoas instituem a elas mesmas a penitência de não ingerir carboidratos à noite. Mas de acordo com a nutricionista, Fernanda Granja, tal proibição não tem fundamento. Contudo, não dá para exagerar e comer um prato de massa antes de dormir. “O carboidrato é o macronutriente que mais fornece energia para o nosso organismo e é necessário em vários casos. O que acontece é que à noite nosso metabolismo fica mais lento, sendo ideal que sejam realizadas refeições mais leves.”

Ela sugere que a alimentação noturna contenha e carboidratos complexos, presentes em alimentos integrais, e se evite gordura, o que garante que a glicemia se eleve aos poucos, que a digestão não seja difícil e que o sono não seja atrapalhado.
Fonte: Terra

 

É verdade que adultos não precisam tomar leite?














Muitos nem imaginam, mas existe certa polêmica em relação ao consumo de leite de vaca por adultos. De um lado, alguns estudiosos o acusam de causar alergias e outras doenças. De outro, o alimento é aclamado como ótima fonte de cálcio e proteínas de alto valor biológico.

Para a nutricionista Luciana Setaro, o leite não deve ser excluído da dieta alimentar do homem adulto. Segundo ela, o consumo de leite está associado à prevenção de osteoporose, hipertensão arterial e contribui até para o fortalecimento do sistema imunológico, pois ele é rico em cálcio, vitaminas, sais minerais e proteínas.

Luciana ressalta que é muito difícil substituir o leite por outra fonte de cálcio. Para obter as mesmas quantidades do nutriente com a ingestão apenas de vegetais, o volume de legumes e verduras teria que ser muito grande, o que não é frequentemente observado na alimentação da maioria das pessoas.

A professora de nutrição lembra, porém, que quase um terço da população mundial tem intolerância à lactose, o açúcar do leite. Estas pessoas não conseguem produzir a enzima que digere a lactose e, por isso, se consomem o alimento, acabam sofrendo com diarreia, cólicas, flatulência, dor e distensão abdominal. Logo, elas precisam excluir o leite da dieta e substituí-lo por uma alimentação equilibrada que supra as necessidades de cálcio.
Fonte: Terra

Amendoim e ostras realmente funcionam como afrodisíacos?



















As ostras são bastante conhecidas pela produção de pérolas, muito usadas na culinária sofisticada e quase sempre estão associadas à elevação do apetite sexual. Há quem defenda que seu poder afrodisíaco tem mais eficácia psicológica que científica. Segundo a nutricionista Fernanda, “as ostras são consideradas afrodisíacas porque possuem grande quantidade de zinco, e o mineral colabora para a formação de testosterona, hormônio masculino”.

Já o amendoim, também famoso por tal proeza, é rico em vitamina B3 e vitamina E. De acordo com a especialista, “a vitamina B3 é considerada vasodilatadora, provoca a liberação de histamina e aumenta a secreção vaginal, ou seja, a libido. A vitamina E participa na formação de hormônios sexuais e por isso aumenta o desejo sexual.”
Fonte: Terra

Suplementos vitamínicos podem fazer mal à saúde?
















Quando o assunto é vitaminas, algumas pessoas acreditam que quanto mais, melhor. Porém, como tudo que é excessivo, os suplementos vitamínicos podem facilmente trocar o papel de mocinho para o de vilão.
A professora de nutrição Roseli de Moura Espíndola explica que “os suplementos vitamínicos devem ser prescritos por um médico quando a ingestão alimentar habitual do indivíduo não atende às necessidades nutricionais”. Porém, lembra ela, “o uso indiscriminado desses suplementos pode ser prejudicial para a pessoa causando alteração no metabolismo de outros nutrientes”. A nutricionista ressalta também que as vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K, por exemplo) são armazenadas no organismo e o seu excesso pode levar à toxicidade.

Como se sabe, o mais recomendado é tentar suprir a necessidade de vitaminas com uma alimentação balanceada. Mas não havendo esta possibilidade, é fundamental que o indivíduo siga as instruções médicas, caso opte pelo uso dos suplementos.
Fonte: Terra

É verdade que refrigerante de cola faz mal para os ossos?
























Os refrigerantes à base de cola, frequentemente, são acusados de fazerem mal aos ossos. E segundo a professora de Nutrição do Centro Universitário Senac, Roseli de Moura Espíndola, não é apenas boato, é fato.

“As bebidas à base de cola apresentam grande quantidade de fosfatos que, presentes no lúmen intestinal, podem formar cristais insolúveis com o cálcio, diminuindo a absorção intestinal do mineral”, ou seja, esses refrigerantes dificultam a absorção de cálcio, que é necessário para os nossos ossos, explica Roseli. Ela recomenda, ainda, que o consumo deste tipo de refrigerante seja evitado ou moderado.

Fonte: Terra

Consumo excessivo de proteína faz mal para os rins?




















Com tantos suplementos alimentares contendo proteína que prometem aumentar os músculos, o boato de que o excesso de proteína faria mal para os rins cresceu muito. Mas não é boato. É verdade.

O consumo exagerado de proteína pode trazer vários problemas renais. Segundo Fernanda Granja, nutricionista clínica, “uma dieta rica em proteína exige mais trabalho dos rins”. O rim é o órgão responsável por filtrar os subprodutos da degradação da proteína.

Pessoas com problemas renais sofrem com esse consumo excessivo, que se torna mais um fator de risco para o desenvolvimento de insuficiência renal, podendo levar a sérias lesões nesses órgãos.

Fonte: Terra

Pimenta do reino faz mal para o estômago?














Dizia-se até pouco tempo que todos os tipos de pimenta faziam mal à saúde. Porém, estudos recentes mostram que apenas um tipo de pimenta pode trazer problemas ao estômago: a pimenta do reino.
Segundo a nutricionista Fernanda Granja, “a pimenta é uma ótima aliada para a gastrite, mesmo com alguns especialistas não concordando com isso”. “A pimenta dedo de moça, por exemplo, trata e cicatriza a gastrite. Mas a pimenta do reino pode causar problemas sim”, explica Granja.

Mas qual o detalhe que faz com que a pimenta do reino seja a diferenciada nessa questão? “A origem do produto nunca é confiável. Deve-se moê-la na hora, comprando pimenta do reino em grãos. Comprando só o pó, corre-se o risco de o produto não ser puro, o que pode prejudicar o estômago e o intestino”, diz Granja.

Comer muito chocolate provoca acnes?

pascoa chocolate ok Benefícios do Chocolate Para a Saúde
Seja na Páscoa, na TPM ou num surto de ansiedade, parece que toda vez que exageramos na quantidade de chocolate surgem aquelas espinhas inconvenientes no rosto. Mas será verdade que o consumo dessa guloseima, quase sempre irresistível, influencia no aparecimento de acnes?

Quem responde é a nutricionista e assessora técnica do Conselho Federal de Nutricionistas, Vanessa de Carvalho Figueiredo. Segundo ela, a acne ocorre devido ao aumento da secreção sebácea nos folículos da pele. "Sabe-se que o consumo de alimentos muito gordurosos pode promover maior oleosidade da pele, contribuindo para formação de espinhas. O chocolate é um produto que possui grande concentração de gordura, advinda da manteiga de cacau e do leite, seus principais ingredientes. Porém, não existe uma relação direta, cientificamente comprovada, entre o consumo de chocolate e o aparecimento de espinhas", explica Vanessa.

Ela lembra que o aparecimento de espinhas também pode estar relacionado a diversos outros fatores, como mudanças hormonais presentes na juventude ou hereditariedade. Por isso, "o surgimento de espinhas não deve ser atribuído apenas ao consumo de chocolate, havendo uma série de fatores que podem estar envolvidos nesse processo".

Fonte: Terra

É verdade que pessoa com desejo de comer terra está com vermes?


Não é tão raro ouvir histórias de alguma pessoa, criança, que sente vontade de comer terra, tijolo de barro, entre outras coisas. A sabedoria popular diz que quem sente esse estranho desejo é porque está com vermes.

De acordo com a professora Roseli de Moura Espíndola, como algumas parasitoses levam à perda sanguínea, acredita-se que as pessoas que têm esse desejo podem apresentar uma deficiência de ferro e, por isso, a vontade de comer terra estaria associada à necessidade de repor o mineral, abundante no solo, perdido pelo sangue. Parasitas como o Ancylostoma duodenal e Necatur americanus podem penetrar na pele ou serem adquiridas pela ingestão oral de larvas presentes na água ou em alimentos contaminados. Nos intestinos, liberam uma substância que estimula o sangramento, para se alimentarem dele. A consequência é a diminuição de ferro e dos glóbulos vermelhos do sangue.

Fonte: Terra

"Barriga de cerveja ou chope", existe mesmo?


Quem nunca ouviu a expressão “barriguinha de chope” utilizada para definir a forma física de algumas pessoas? Ainda assim, fica difícil resistir à cervejinha gelada do happy hour e do final de semana.

Segundo a nutricionista Roseli de Moura Espíndola, as bebidas alcoólicas, como a cerveja, contêm álcool que fornece bastantes calorias e, além disso, o exagero na bebida piora a situação. “Como é raro alguém que tome apenas um copinho de cerveja ou chope, a ingestão da bebida e, logo, o excesso de calorias, pode levar ao aumento da produção de gorduras”. Geralmente o acúmulo dessa gordura ocorre na região abdominal.

Vale lembrar ainda que a cerveja é consumida, quase sempre, acompanhada de um petisco, como amendoim, linguiça calabresa, azeitonas, que elevam ainda mais o teor calórico, favorecendo o acréscimo de alguns quilinhos na balança. Portanto, se você quer manter o peso sem abrir mão da cerveja, não passe do primeiro copo.

Fonte: Terra

Consumo excessivo de adoçante pode fazer mal para saúde?


Na onda da zero caloria, cada vez mais as pessoas têm substituído as colheradas de açúcar pelos sachês ou gotas de adoçantes. Mas muito já se disse que seu consumo pode causar doenças e levar até ao câncer.

No entanto, conforme explica Fernanda Granja, "os adoçantes consumidos dentro do limite recomendado são seguros. Esse limite foi determinado em estudos com animais, correspondendo para o ser humano 10% da dose mínima de toxicidade para os animais pesquisados, sendo assim a margem de segurança é grande".

A quantidade máxima de adoçante do tipo aspartame que um adulto com 60 kg pode ingerir diariamente, com segurança, de acordo com recomendações da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), é de 2.400 mg, o que equivale, aproximadamente, ao consumo de 48 envelopes de 1 g de um adoçante dietético com 5% de aspartame. Ou ainda a 4 litros de refrigerante adoçado apenas com aspartame.

Fonte: Terra

Gastrite: saiba como prevenir através de uma combinação correta de alimentos

As proteínas do ovo ajudam a reconstituir a parede do estômago após o jejum noturno e o pão integral controla os níveis de ácido clorídrico, substância por trás da queimação
Foto: Dreamstime
Seja de origem bacteriana ou emocional, o desconforto na parte superior do abdômen é o mesmo. Quem sofre de gastrite apresenta sintomas como dor de estômago e queimação. Essa inflamação no órgão que tem como responsabilidade preparar os alimentos e enviá-los ao intestino delgado aparece quando suas paredes internas passam a não suportar o ácido que circula por ali e que é essencial para a digestão das proteínas. Sem os cuidados adequados, a gastrite pode evoluir para problemas mais sérios, como úlcera e até câncer.
Uma bactéria incendiária, a Helicobacter pylori, é a principal causa da ardência estomacal. Geralmente, o micro-organismo se aloja nesse órgão e, dependendo da sorte do hospedeiro, assume a persona de um piromaníaco. "A bactéria não discrimina nem sexo nem faixa etária", diz o gastroenterologista Flavio Steinwurz, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Felizmente, dá para controlar o ímpeto ardoroso do micróbio com alimentos capazes de apagar esse fogo todo.
Café da manhã
As proteínas do ovo ajudam a reconstituir a parede do estômago após o jejum noturno e o pão integral controla os níveis de ácido clorídrico, substância por trás da queimação.
Almoço
As fibras da maçã e do arroz integral somadas ao betacaroteno da cenoura também protegem contra o incêndio.
Entre refeições
O iogurte equilibra os níveis de acidez estomacal e os grãos integrais dão uma força e tanto para o bom trabalho da digestão.
Jantar
A água de coco hidrata e ameniza a dor. Os brócolis complementam o serviço, diminuindo a inflamação.
Restringir a produção de ácido ficando de olho no que a gente come é de extrema importância, já que cada mordida dá a largada para o sistema digestivo trabalhar. Essa tática minimiza a agressão contra as paredes internas do estômago - e isso proporciona um alívio daqueles. Mas, além do monitoramento das refeições, outros passos podem amenizar a ardência e a controlar a progressão das lesões. A mastigação, como primeira fase da digestão, poupa os esforços do órgão. "A amilase, enzima da saliva, começa a quebrar o amido já na boca", conta Flavio Steinwurz.
Comer várias vezes ao dia também está no topo da lista de conselhos de qualquer nutrólogo ou nutricionista. "Quantidades menores fazem com que o estômago não fique abarrotado", diz a nutricionista Beatriz Botéquio, da Equilibrium Consultoria, na capital paulista. "Dessa maneira, o tempo de jejum também diminui, prevenindo a acidificação estomacal e, consequentemente, as crises de gastrite", complementa Dan Waitzberg.
Na hora do suplício, vale apelar para chás antiácidos. "O de espinheira-santa, planta do Sul do Brasil, pode ajudar", recomenda Waitzberg. E cuidado com o leite puro, que estimula a secreção de suco gástrico, e anti-inflamatórios. "Como são dissolvidos e absorvidos no próprio estômago, acabam causando lesões", explica Fernando Bahdur, médico da Associação Brasileira de Nutrologia. Agora é só evitar os alimentos incendiários e investir nos protetores. E coma sem medo.

Os incendiários do estômago

Eles ou estimulam a produção de ácido estomacal ou agridem diretamente a mucosa do órgão. E aí é desconforto na certa. Estamos falando de: café, chocolate, bebidas alcoólicas, alho, pimenta, mostarda, cebola, molho de tomate, energéticos e frutas ácidas, como o abacaxi, a laranja, o limão e a acerola.

Fonte: site saúde

Sal: todo cuidado é pouco

 
sal
O sódio do sal faz o corpo reter mais líquido e aumenta o volume de fluidos nos vasos sanguíneos
Foto: Getty Images
A pressão alta é uma doença que atinge 23,3% dos brasileiros, de acordo com uma pesquisa do  Ministério da Saúde. E, de todos os fatores que causam a hipertensão, só um não pode ser mudado: o histórico familiar.

Para os outros, como obesidade, sedentarismo, consumo de sal em excesso e de bebidas alcoólicas, a mudança de hábitos é a saída. A prevenção e o controle da doença começam na mesa. Sabe o salzinho que você usa para deixar a comida mais gostosa? É ele mesmo o alvo.

O sal contém uma substância que, em excesso, pode ser uma das causas do aumento de pressão: o sódio. Ele faz o corpo reter mais líquido e aumenta o volume de fluidos nos vasos sanguíneos. É como se você abrisse a torneira de uma mangueira de quintal no máximo. Quanto mais água, mais pressão.

Só que, no corpo humano, o resultado disso são problemas de coração, que matam mais do que câncer e violência. Hoje, no Brasil, a hipertensão é responsável por 40% dos infartos, 80% dos AVCs (acidentes vasculares cerebrais) e 25% dos casos de insuficiência renal que terminam em morte. São bons motivos para evitar ser mais uma vítima da doença.

Reduza o sal sem sofrimento


Quem quer diminuir o sal da comida pode seguir as dicas de Frida Fplavnik, da Sociedade Brasileira de Hipertensão. "Para não sofrer, a pessoa deve reduzir 25% da ingestão diária de sal por um mês. Esse é o tempo que seu paladar leva para se acostumar ao sabor. Vá reduzindo aos poucos até chegar a 5 gramas", diz. Veja as dicas:
· Não deixe o saleiro na mesa.
· Em vez de colocar o sal ao preparar a comida, acrescente depois, direto no prato.
· Use outros temperos, como limão e noz-moscada.

Confira quanto você pode consumir por dia


· 2,5 g ou dois saquinhos e meio de sal: esta é a quantidade mínima de que seu corpo precisa para ter saúde

· 5 g ou colher de sobremesa: isto é o máximo que você deve consumir para evitar a hipertensão

· 12 g ou colher de sopa: isto é o que o brasileiro consome em média

Como converter sódio em sal


Os produtos industrializados são os vilões da nossa dieta. Eles contêm grande quantidade de sal, usado para aumentar o prazo de validade da comida. Mas as embalagens só trazem esse valor em sódio, porque mesmo produtos doces, como refrigerantes, podem ter sódio. Para você não ficar em dúvida, veja como converter as medidas.

Exemplo: um pacote de macarrão instantâneo (80 g) tem 1212,8 mg de sódio.

Aprenda a fazer o cálculo:

É só multiplicar a quantidade de sódio descrita na embalagem por 0,00254. O resultado é a quantidade de sal do produto.

Resultado: A quantidade de sal do produto é de 3,08 g. Ou seja: é mais que 60% de todo sal que pode ser consumido por dia!

Fonte: site sou mais eu

Você sabia que brotos crus adicionados à sua refeição eliminam toxinas e facilitam a digestão?

 
alfafa
Broto de alfafa protege seu organismo contra leucemia, por exemplo
Foto: Dreamstime
Os brotos são embriões de plantas em pleno crescimento e, quando vão à mesa, deixam qualquer prato mais nutritivo. É o que mostra "Brotos: Receitas da Culinária Viva" (Editora Alaúde), da consultora de nutrição americana Kathleen O'Bannon.

Ali a gente fica sabendo que as sementes, suas precursoras, são ricas em fibras, e, após germinarem, apresentam concentrações até 15 vezes maiores de enzimas. "Elas atuam diretamente na digestão, melhorando o funcionamento do intestino", explica Alberto Peribanez, médico e especialista em nutracêutica que assina o prefácio da obra. "Até a respiração celular é favorecida", completa.

Sem falar que os brotos auxiliam a eliminar as toxinas que ficam circulando pelo corpo. Eles também entram na receita do popular suco vivo. Feito de grãos germinados, como a linhaça, ele é rico em vitaminas como as A, D, E e K, gorduras do bem, além de propriedades antioxidantes que nos blindam contra diversas doenças.

Germinação


Quem disse que é preciso ter uma horta para plantar a própria comida? Kathleen O'Bannon, autora do livro, estimula o toque pessoal nas refeições. Desde a escolha da semente e germinação até as receitas de dar água na boca. Você pode escolher levando em conta os nutrientes, o recipiente usado ou o tempo que leva para cada broto crescer.

Algumas propriedades dos brotos:


Feijão-mungo

Essa leguminosa contém ferro e vitamina C. No Oriente, o broto é usado para baixar a temperatura em caso de febres.

Alfafa

Protege contra leucemia, dá um basta às placas que entopem as artérias e controla as ondas de calor da menopausa.

Fonte: site Saúde

Aipo, acelga e couve: seu prato muito mais verde e você mais saudável.

vegetais verdes
Aipo facilita a digestão e ajuda a recuperar os músculos!
Foto: Dreamstime
Não há dúvida: tomate, cenoura e brócolis são ricos em nutrientes. Mas, para obter todas as vitaminas e minerais necessários ao organismo, você precisa variar a lista de verduras e legumes.

Acelga


O que tem: especialmente magnésio, ferro e vitaminas E e K.

Como pôr no prato: refogada com outros legumes ou crua na salada. Também vai bem na sopa ou no recheio de torta.

Os benefícios: protege a membrana das células, especialmente as do sistema imunológico.

Couve


O que tem: vitaminas A, C, K e B6, além de cálcio e magnésio.

Como pôr no prato: cozida na sopa, refogada ou crua, na salada ou batida no suco.

Os benefícios: a parceria cálcio e magnésio ajuda a manter a massa óssea.

Aipo


O que tem: antioxidantes (betacaroteno, luteína e zeaxantina) e uma boa dose de potássio, fósforo e vitamina K.

Como pôr no prato: o caule pode ser consumido cru na salada ou refogado com outros legumes. E também cozido na sopa, assim como as folhas.

Os benefícios: facilita a digestão e ajuda a recuperar os músculos.

fonte: Boa Forma

Vinho: que tal brindarmos a saúde?


Os médicos recomendam o consumo de um cálice por refeição
Foto: Getty Images
O consumo de vinho tinto vem sendo cada vez mais recomendado pelos médicos. É que pesquisas apontam o resveratrol (substância antioxidante encontrada na uva) como um aliado contra doenças do coração e até câncer. "O vinho está virando um ingrediente do dia a dia para quem busca saúde", conta o cardiologista Fernando Lucchese, da Santa Casa de Porto Alegre.

E a boa notícia não para por aí. Estudo da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) revelou que os tintos nacionais estão entre os vinhos com maior concentração dessa substância, cujo consumo regular também está relacionado à longevidade. Conheça os benefícios da bebida.

8 benefícios do vinho à saúde

· Sistema urinário protegido
O vinho reduz em até 60% o risco de formação de cálculos urinários.

· Visão sã e salva
Sua ação antioxidante diminui a degeneração ocular, causa comum de cegueira em idosos.

· Fim do Alzheimer
Seus componentes evitam o envelhecimento das células cerebrais, reduzindo o risco de doenças como o Alzheimer.

· Fortalecimento de ossos
A bebida melhora a densidade óssea, diminuindo o risco de osteoporose.

· Ferro contra anemia
Um copo de vinho tinto contém, em média, 0,5 mg de ferro. Com o álcool, o organismo absorve melhor o mineral responsável por combater a anemia.

· Remédio para casos de herpes
Investigação realizada por cientistas americanos sugere que o resveratrol impede a multiplicação do vírus que provoca a herpes.

· Desobstrução dos vasos sanguíneos
A substância também impede a oxidação do colesterol ruim, que fica acumulado nas artérias e pode provocar infarto ou derrames.

· Freio de tumores
O resveratrol ainda controla os radicais livres do organismo, inibindo mutações genéticas que levam ao aparecimento de tumores.

Fonte: AnaMaria

Você adora chocolate? Então, aproveite para conhecer os benefícios deste delicioso doce



O chocolate diminui o estresse e serve como anti-inflamatório
Foto: Dreamstime
O consumo moderado de chocolate traz vários benefícios à saúde. Confira quais são eles e, na próxima passagem pelo supermercado, presenteie-se com uns quadradinhos!

1. Diminui o estresse

Por quê?
Você pode não reparar, mas seu chocolate favorito serve de calmante.

Como funciona?
Chocólatras apresentam níveis menores de hormônios do estresse circulando no sangue.

2. Serve como anti-inflamatório

Por quê?
Dois quadradinhos de chocolate meio amargo por dia diminuem inflamações crônicas, consideradas as principais responsáveis por doenças como diabetes, Alzheimer e infarto.

Como funciona?
Esse tipo de chocolate é rico em flavonoides, componentes que destroem os radicais livres que causam a inflamação.

3. Melhora o humor na hora!

Por quê?
A mesma quantidade de chocolate meio amargo indicada no item acima tem o poder de deixar qualquer mulher mais feliz.

Como funciona?
Chocolate meio amargo também libera serotonina no organismo, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar.

4. Aumenta nosso tempo de vida

Por quê?
Pode comemorar: duas barras de chocolate por semana garantem um ano extra de vida!

Como funciona?
O cacau tem quase duas vezes mais antioxidantes do que o vinho tinto e três vezes mais do que o chá verde, retardando o envelhecimento de todo o nosso corpo.

5. Previne derrames

Por quê?
Quem come quatro pedacinhos de chocolate pelo menos uma vez por semana tem 22% menos chance de ser vítima de um acidente vascular cerebral. Só não vale abusar da quantidade: são só quatro quadradinhos, combinado?

Como funciona?
Os grãos de cacau são carregados de substâncias que ajudam a manter nosso sangue fino e as artérias limpinhas, melhorando a irrigação sanguínea no cérebro.

6. Turbina os músculos

Por quê?
Cientistas norte-americanos garantem que comer uma barrinha pequena de chocolate diariamente aumenta o fluxo sanguíneo no organismo em pouco menos de duas semanas.

Como funciona?
O aumento do fluxo sanguíneo melhora também a oxigenação dos músculos, preparando-os para a ação. Você se sentirá mais disposta e com mais resistência até para fazer uma simples caminhada.

Fonte: AnaMaria

Que tal uma sopinha agora? Hummmm... que delícia e, ainda te ajuda a ficar em forma.



moça
Tomar sopa no jantar é sempre uma boa pedida para emagrecer. Consumida quentinha, espanta o frio e acalma a fome mais facilmente, deixando você satisfeita com menos comida. E, por ser líquida, rende uma refeição de fácil digestão, garantindo um sono tranquilo - mais um ponto a favor da dieta, como a ciência provou: quem dorme bem engorda menos!

Para fazer você perder peso, no entanto, a sopa deve ser completa (combinar proteína magra e carboidrato complexo), sem deixar de ser leve. Esqueça também de acompanhá-la com pão, torrada e outros itens que pesam na balança. Feito isso, não tem erro: você emagrece! E dá para acelerar esse processo e entrar naquele jeans ainda mais rápido. Como? Capriche no tempero!

Invista principalmente em ervas e especiarias como alecrim, cardamomo, cúrcuma, gengibre, manjericão, orégano, pimenta e salsa. "São ingredientes que ressaltam o sabor sem acrescentar calorias", diz a nutricionista Vanessa Leite, diretora da Clínica Emagrecimento, Saúde e Beleza, em Porto Alegre. Melhor ainda: aceleram a queima de gordura, desintoxicam, desincham ou combatem a inflamação nas células. Quando coloca esses temperos na sopa, você tende a usar menos sal, o que faz o organismo reter menos líquido. E tudo isso dá um bom empurrão na perda de peso.

A dieta tem mais um segredo para otimizar o resultado na balança: pôr na sopa pelo menos dois tipos de tempero e, no dia seguinte, mudar a combinação. Se você usar cúrcuma e salsa na segunda-feira, por exemplo, opte por pimenta e orégano na terça. "Variar esses ingredientes estimula o organismo a ficar menos resistente à perda de peso", afirma Vanessa. Ela ensina um caldo básico (veja receita a seguir) e sugere, a partir dele, quatro sopas diferentes, completas e bem temperadas.

Mas, se existe uma receita leve e completa que você ama, sem problemas: prepare-a do jeito que está habi­tuada. E, claro, incremente-a com as ervas e especiarias que emagrecem - além de gostosa, sua sopa vai ganhar o poder de exterminar as gordurinhas. Delícia!

Ervas que afinam a cintura
Os temperos dão mais sabor à sopa, além de agitar o metabolismo, aumentando a queima de gordura. Também combatem a inflamação, o que deixa o organismo menos resistente à perda de peso. Combine-as a gosto

Alecrim: contém substâncias antioxidantes, anti-inflamatórias e capazes de facilitar a digestão.
Quanto adicionar à sopa: 2 ramos da erva fresca ou 1 colher (sobremesa) da erva desidratada por porção.

Cardamomo: os compostos bioativos desse tempero aceleram o metabolismo.
Quanto adicionar à sopa: 1 colher (café) das sementes do cardamomo por porção.

Cúrcuma: essa raiz reduz a irrigação sanguínea no tecido adiposo, enfraquecendo a reserva de gordura. E, por ser rica em curcumina (pigmento amarelo-ouro), tem ação antioxidante e anti-inflamatória.
Quanto adicionar à sopa: 2 colheres (café) da cúrcuma em pó por porção.

Gengibre: em pó ou ralado, acelera em até 20% o gasto calórico graças à ação termogênica da substância zingiberine, presente em sua composição.
Quanto adicionar à sopa: 1 pedaço (3 cm) de gengibre fresco ralado ou 1 colher (café) da raiz em pó por porção.

Manjericão: tem ação desintoxicante, livrando o organismo do excesso de toxinas.
Quanto adicionar à sopa: 1 colher (sopa) de manjericão fresco por porção.

Orégano: estimula a produção de enzimas responsáveis pela digestão dos carboidratos (batata, pão). Também é antioxidante e levemente diurético.
Quanto adicionar à sopa: 1 colher (sobremesa) de orégano fresco ou desidratado por porção.

Pimenta: rica em capsaicina (substância que dá o sabor picante), reduz a fome e acelera a queima de calorias.
Quanto adicionar à sopa: 1/6 de pimenta dedo-de-moça sem as sementes picada ou 1/4 de colher (café) de caiena em pó por porção.

Salsa: tem efeito diurético (especialmente quando é aquecida), reduzindo a formação de gases e o inchaço abdominal. As substâncias presentes na folha também facilitam a digestão e ajudam o organismo a se livrar das toxinas.
Quanto adicionar à sopa: 1 colher (sopa) de salsa fresca ou desidratada por porção.

Quanto mais variar, melhor
A partir de um caldo básico, você pode criar uma nova sopa a cada dia. Basta acrescentar alguns Ingredientes e as ervas. Mas, se quiser, prepare uma única receita para a semana e mude apenas as especiarias, de acordo com a sua preferência

Fonte: Revista Boa Forma

Vai uma vitamina de banana aí? A banana não é uma inimiga da boa forma e merece estar no seu cardápio



Foto: Dreamstime
Essa fruta não dispensa apresentações. Isso porque, apesar de estar no seu cardápio há anos - provavelmente desde suas primeiras papinhas -, a banana ainda tem a fama de não ser a melhor amiga da boa forma. Como tem 22% de carboidratos, ela é realmente mais calórica do que algumas outras frutas: uma unidade (70 g) de banana-prata fornece 62 calorias. "Porém, tem alto valor nutricional, provoca  sensação de saciedade e pode fazer parte da alimentação se consumida com moderação, sem contribuir para o ganho de peso", afirma a nutricionista funcional Patricia Davidson Haiat, do Rio de Janeiro.

Grandes vantagens

Por que a banana deve ser mantida no seu cadápio: "Um estudo intensivo, realizado por três prestigiadas universidades (Berkeley, Cambridge e Twickenham), buscou o alimento considerado perfeito e completo em sua composição e ao alcance da maioria da população. Foi mostrado que, para pessoas que desejam uma solução rápida, não há melhor alimento do que a banana", conta Patricia.

"Entre tantos benefícios que foram encontrados, estão o controle da pressão arterial, a ação benéfica no sistema nervoso, o auxílio na perda de peso por manter o nível de açúcar no sangue estável e a presença de fibras, que ajudam a manter a saciedade por mais tempo." Vale lembrar que a fruta tem baixo teor de gordura, as vitaminas A, B1, B2, B6, C, D e E e os minerais fósforo, cálcio, ferro e potássio, sua grande arma, que ajuda a evitar cãibras e dores musculares e é seu grande astro. Segundo uma pesquisa publicada no Journal of the American College of Cardiology, ele melhora a fluidez do sangue, evitando a formação de coágulos - quem come três bananas por dia tem risco até 21% menor de sofrer um acidente vascular cerebral.

Linda e de bem com a vida

Na banana, a presença do aminoácido triptofano também merece palmas. "Ele se converte em serotonina e gera sensação de bem-estar no organismo, o que faz da fruta um dos alimentos considerados importantes na prevenção e tratamento da depressão", diz a nutricionista funcional Cristina Martins, do Rio de Janeiro. Tem mais: alivia os sintomas da TPM!

"Além disso, é rica em potássio e vitamina B6, que ajudam a diminuir as cólicas menstruais", completa a nutricionista Thabata Costa, da loja Mundo Verde do Jardim Marajoara, em São Paulo. Outro ponto positivo é que as vitaminas A, C e do complexo B contribuem para a saúde dos cabelos, das unhas e da pele.

Aprenda a escolher

Prefira as frutas em que a parte amarela da casca predomine sobre a preta e as de formato arredondado. "Se tiverem quinas, foram colhidas antes do tempo", ensina Patricia. As bananas também não devem estar verdes nem totalmente maduras. "As muito maduras têm mais açúcar do que fibras, e as mais verdes tendem a prender o intestino."

Em casa, guarde em locais frescos e arejados. Mas não é só a banana in natura, que a gente está acostumada a consumir, que faz bem. "É possível preparar receitas com sua biomassa (banana verde cozida), que contém baixa caloria, reduz a glicemia e melhora o funcionamento do intestino", afirma Cristina. A biomassa e a banana verde podem ser compradas em forma de polpa congelada.

Como e quanto consumir

Coma banana nos lanches e use-a no preparo de bolos e doces. Não há uma quantidade diária ideal de consumo, mas você está cansada de saber que deve comer cerca de três porções diárias de frutas variadas. Diabéticos devem consumir a fruta com moderação (a polpa de banana verde é uma alternativa melhor), indicação do médico e, de preferência, junto com uma fibra, como farelo de aveia. Isso porque a fibra ajuda a reduzir o índice glicêmico da fruta, que é alto (ela é rapidamente absorvida, o que aumenta a glicemia). Quem sofre de insuficiência renal também precisa tomar cuidado no consumo: em excesso, o potássio pode ser perigoso.

Fonte: Women's Health

Saiba como cada cor, na sua alimetação, pode beneficiar sua saúde

 
Cenoura
Cenoura ajuda a evitar a osteoporose
Foto: ANAMARIA

Escolher alimentos de cores diferentes não serve apenas para deixar o prato mais bonito, mas também traz benefícios para a sua saúde. Confira a funcionalidade de cada tom de comida:

Laranja
O betacaroteno, responsável pela cor alaranjada dos alimentos, tem recebido atenção especial na luta contra o câncer. "Acredita-se que ele possa fortalecer a função imunológica, combatendo as células tumorais", diz a nutróloga Cristiane Coelho Ognibene. Mas as benesses dessa cor vão além: pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), em parceria com a USP, apontaram uma grave falta de vitamina K na alimentação do brasileiro. Esse nutriente atua no metabolismo ósseo e ajuda a evitar a osteoporose, doença que atinge 25% das mulheres depois dos 50 anos. Incluir uma cenoura crua por dia na dieta é o suficiente para suprir o organismo com a vitamina.

Roxo, azul e preto
As três cores são energia pura. Elas contém antocianinas, que protegem as células dos danos oxidativos, transformam os nutrientes absorvidos em energia e retardam os sinais de envelhecimento. O trio também é ótimo na prevenção de problemas nas articulações. "A coloração escura auxilia a função cognitiva e tem propriedades antioxidantes, que participam do combate ao câncer", diz David Grotto, autor do livro "101 Optimal Life Foods" (inédito no Brasil).

Amarelo
Vibrantes como o Sol, são cheios de vitamina C, o que favorece o processo de cicatrização e também impede que os radicais livres causem danos à pele. Mas os benefícios não param por aí: "Produtos com esse pigmento melhoram a saúde do aparelho digestivo, pois contêm a enzima bromelina, que atua como substituta dos sucos gástricos e auxilia na digestão. Além disso, as frutas amarelas têm alto teor de fibras, o que provoca sensação de saciedade e melhora o funcionamento da flora intestinal", explica Cristiane.

Rúcula com manga
Alimentos verdes ajudam a prevenir doenças como o câncer
Foto: ANAMARIA

Verde
Os alimentos com esse pigmento contêm fitoquímicos, como os isotiocianatos, que ajudam a prevenir doenças como o câncer. Além disso, eles têm luteína e zeaxantina, dois antioxidantes potentes que podem retardar o processo de envelhecimento precoce, pois combatem os radicais livres, e reduzir o risco de degeneração macular, doença líder na causa de cegueira.

Branco
Essa cor tem efeito anti-inflamatório e antialérgico, bloqueando a histamina, uma substância que causa coceiras, espirros e alergias. Devido às propriedades antibióticas, são conhecidos como os alimentos para a cura, e ainda ajudam a prevenir doenças cardiovasculares e a reduzir o colesterol ruim.

Vermelho
Fique esperta: uma pesquisa da Universidade Tufts, nos EUA, concluiu que alimentos vermelhos, repletos de antioxidantes, ajudam na produção de neurônios e turbinam a memória. Eles ajudam a eliminar o estresse oxidativo, reduzindo os riscos de desenvolver doenças como câncer, diabetes, Alzheimer e Parkinson.

Fonte: Women's Health

Você sabe a quantidade de calorias que você está consumindo diariamente?


Muitas vezes, consumimos alimentos que são verdadeiras bombas calóricas disfarçadas, enquanto outros não engordam tanto quanto parecem. E é importante ficar de olho nessas quantidades para não ultrapassar o valor diário recomendado: 2 mil calorias para as mulheres e 2.500 para os homens, em média.
Calorias equivalentes (Foto: Arte/G1)

Fonte: programa Bem Estar - Rede Globo

Romã: você nem sabia o quanto ela era importante para sua saúde



Romã não é uma fruta que costuma fazer parte da dieta do brasileiro, mas deveria ser incluída na matemática das duas porções de frutas por dia. Cientistas da Universidade de Queen Margaret, na Escócia, descobriram que a romã pode ser uma aliada. Estudo recente mostrou que essa fruta é capaz de diminuir os níveis do cortisol, hormônio capaz de aumentar a gordura abdominal, induzido pelo estresse. Mas não é só. De acordo com a nutricionista funcional Luciana Harfenist, “a fruta também tem aplicações no controle do mau colesterol (LDL), diabetes, celulite e cardiopatias”.

Raio-X da romãLuciana explica que as sementes da fruta são riquíssimas em vitaminas A e E, potássio, ácido fólico, vitamina C, cálcio, ferro, potássio, magnésio, ácido gálico, ácido elágico, entre outras substâncias. “Ela também contém punicalagina, um flavonóide responsável pelas propriedades antioxidantes, capaz de reduzir processos inflamatórios presentes na obesidade, cardiopatias, diabetes, celulite e câncer. Essa substância ainda diminui a produção de citocinas pró-inflamatórias, presentes no tecido adiposo, interferindo diretamente na composição corporal.”, diz Luciana.

O médico nutrólogo José Alves Lara Neto, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), reforça que a ação anti-inflamatória é capaz de debelar infecções na garganta. Realizada pela Universidade Riverside, da Califórnia, uma pesquisa identificou componentes no suco de romã que podem inibir os movimentos de células cancerosas e a metástase do câncer de próstata.

Potente antioxidanteLuciana Harfenist lembra que a ação antioxidativa da romã é considerada mais potente que a do vinho, no combate aos radicais livres. “Ela tem ótima ação detoxificante, livrando o fígado de toxinas e acelerando o metabolismo basal. A romã tem uma composição tão diferenciada em nutrientes que pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) estão estudando as propriedades antivirais dos taninos elágicos para o tratamento de herpes e dengue”, completa a nutricionista.

Luciana reforça que a romã deve ser ingerida logo após a sua manipulação ou preparação. “Com as sementes, é possível preparar suco puro, ou misto com outras frutas, e ainda salpicá-las em saladas, molhos e recheios de tortas. A casca serve para fazer chás, sucos e vitaminas.”

Em suco ou em chás, romã faz bemPara obter os benefícios dos compostos da fruta, a nutricionista ressalta que o seu consumo deve ser diário: “Um copo (100 ml) de suco de romã ao dia, fora das grandes refeições, ou a metade total das suas sementes em cima da salada, é o bastante para aproveitar tudo de bom que a fruta tem a oferecer”, explica. José Alves completa: “Para acabar com gengivites e amigdalites, ferva a casca em água, aguarde esfriar, e faça gargarejos. Infusões com flores da romã possuem taninos, substância indicada no caso de desarranjos intestinais”.

Fonte: GNT

Enfim, óleo de coco emagrece ou não?


óleo de coco é uma das substâncias mais comentadas do momento. Recentemente, pesquisadores da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, adicionaram o óleo de coco virgem a bolinhos, consumidos por voluntários.O estudo mostrou que aqueles que ingeriram os bolinhos emagreceram além do esperado. Na região do abdômen, a perda de centímetros foi sete vezes maior, quando comparada ao grupo que não incluiu o óleo de coco na rotina alimentar.

A nutricionista Adriana Castro, explica que “a gordura de coco é capaz de gerar calor e queimar calorias, favorecendo a perda de peso”. O médico Guilherme Giorelli, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) lembra que “o óleo também é indicado para diminuir os triglicérides e o mau colesterol (LDL), aumentar o bom colesterol (HDL) e por sua característica anti-inflamatória”.

A seguir, confira as dicas dos dois especialistas para consumir o óleo de coco:

Quantidade ideal: Para quem deseja emagrecer, a nutricionista Adriana Castro aconselha a ingestão de até quatro colheres de sopa por dia. “Essa quantidade diminui o apetite e favorece a perda de peso, já que eleva o gasto energético do organismo. Quem segue dietas com restrição de gorduras deve começar com uma dose de meia colher de sopa ao dia e aumentar o consumo gradualmente”, pondera. Ela reforça que o óleo de coco não é um medicamento e, sim, um alimento complementar. Sendo assim, é preciso consumi-lo todos os dias para perceber os benefícios.

Combinação com outros alimentos: Segundo Adriana, “o óleo de coco virgem tem sabor agradável e pode ser consumido puro. Ele também não altera o sabor de outros alimentos, o que permite usá-lo em substituição ao óleo de soja ou canola, e ainda misturá-lo em sucos e vitaminas, como tempero para saladas ou na receita de bolos e doces”. O nutrólogo Guilherme Giorelli completa: “Nas refeições ricas em carboidrato, o óleo de coco virgem pode diminuir o índice glicêmico da refeição, deixando o prato mais saudável”.

Óleo de coco X óleo de coco virgem: É importante ressaltar que os benefícios estão no óleo de coco virgem. “O óleo de coco é dividido em duas categorias: refinado e virgem. A versão refinada é obtida a partir do coco seco, chamado de copra, e não mantém suas propriedades benéficas. O óleo de coco virgem é obtido, por processos físicos, a partir de cocos frescos. O alimento passa pelas etapas de prensagem e filtração, preservando seus fitoquímicos naturais”, diz Adriana Castro. A nutricionista informa que o óleo virgem pode ser preparado em casa.

Cápsulas de óleo de coco virgem: Guilherme diz que “as cápsulas de coco ainda necessitam de estudos clínicos para comprovar sua ação benéfica”.

Demais indicações: De acordo com Adriana, o óleo de coco virgem é capaz de prevenir certas doenças. “De todas as gorduras vegetais, a de coco apresenta a maior concentração de ácido láurico - mesmo ácido graxo presente no leite materno. O óleo de coco virgem melhora a absorção dos nutrientes, elevando todas as defesas do organismo. Ele também age na prevenção e no combate de fungos, como a cândida, e parasitas, como a giárdia”, complementa. A nutricionista diz que o óleo também regula a função intestinal, combate a fadiga crônica e a fibromialgia e ajuda no controle da diabetes, já que não estimula a liberação de insulina.

Fonte: Saúde GNT

A importância do leite para crianças e idosos

Uma pesquisa feita em uma universidade do Canadá apontou que em certas faixas etárias o leite é mais eficaz do que água para hidratar o organismo.


A alimento também faz sucesso entre as crianças, mas os nutricionistas dizem que ele também deve fazer parte do cardápio em outras fases da vida.

Depois da amamentação, dos seis meses aos 10 anos, a criança deve beber de dois a três copos de leite, por dia. Para garantir o desenvolvimento ósseo e muscular do organismo.

- dos 10 aos 14 anos, o ideal é dividir em três porções o consumo de leite ou algum derivado. Por exemplo, tomar um copo de leite no café-da-manhã, uma fatia de queijo no lanche e um copo de leite antes de dormir. Isto vai garantir o ganho de massa muscular e a boa formação dos órgãos ligados à sexualidade.

- dos 18 aos 50 anos, o consumo até pode ser substituído, sem prejuízo para o desenvolvimento do organismo. Em vez do leite, beber em média um litro e meio de água por dia e ingerir outras fontes de proteína, como carnes e frios, como peito de peru e presunto.

A partir dos 50 anos os nutricionistas dizem que o leite se torna tão importante quanto na infância. E não só como fonte de nutrição, ele é recomendado também para manter a hidratação do corpo. O indicado é beber três copos de leite por dia.

Por ser rico em aminoácidos, o leite demora mais tempo para ser absorvido do que água. “Mais do que dar os nutrientes que se precisa, como cálcio ou proteína, o leite tem uma capacidade de hidratar bem crianças e idosos”, explica Virginia Nascimento, nutricionista.

Fonte: Jornal Hoje

Conheça quais os alimentos que aceleram seu metabolismo, estimulando o gasto calórico

Alimentos termogênicos são aqueles capazes de aumentar o gasto energético do corpo, facilitando a queima de calorias e favorecendo a perda de peso. A seguir, confira lista deste tipo de alimento, preparada pela nutricionista Luciana Harfenist.

  • Pimenta
    “A pimenta vermelha é rica em capsaicina, substância que favorece a quebra de gorduras no tecido adiposo”, diz Luciana. De acordo com a nutricionista, três gramas ao dia, em saladas e pratos quentes aumentam o metabolismo em até 15%.
  • Óleo de coco virgem
    Segundo Luciana, “o óleo de coco virgem é rico em ácido láurico e o monolauril, que favorecem a redução do percentual de gordura corporal. Quatro colheres de sopa são suficientes para cumprir sua função”
  • Canela
    De acordo com Luciana, “com alto teor de cálcio, a canela é um mineral importante para o emagrecimento, já que é capaz de aumentar o metabolismo basal. Pode ser salpicada diariamente em temperos de pratos salgados e doces”.
  • Chá verde (Camellia sinensis)
    “O chá verde favorece a utilização da gordura corporal e atua como fonte de energia, com função de estímulo metabólico. Para obter efeito termogênico, beba quatro xícaras do chá ao dia”, orienta.
  • Guaraná em pó
    “O guaraná em pó contém cafeína, estimulante do sistema nervoso central que favorece a aceleração do metabolismo. Pode ser utilizado em cápsulas, sucos e shakes, sempre até às 17 horas para não alterar o sono. A quantidade deve ser individualizada”, explica Luciana.

  • Gengibre
    "O gengibre pode aumentar em até 10% o gasto calórico diário", revela a nutricionista. Ela indica o consumo em chás, marinadas, sopas, molho de tomate e como tempero para carnes, aves e peixes.
  • Ômega 3
    “Presente em peixes como salmão, sardinha e atum, o ômega 3 aumenta o metabolismo basal, reduz a retenção de líquidos e facilita a comunicação entre as células do organismo. O ideal é consumir três porções por semana”, diz Luciana. 

    Fonte: GNT saúde

Dicas de como se exercitar e perder peso fazendo atividades diárias.

Para perder calorias, é preciso se movimentar, espantar a preguiça e também o frio. Com a chegada do fim de semana, a tendência é abusar das comidas gostosas e calóricas.

O endocrinologista Alfredo Halpern e o preparador físico José Rubens D'Elia ensinaram o que é caloria e qual o valor calórico da gordura (1 grama tem 9 calorias), do álcool (1 grama tem 7 calorias), do carboidrato (1 grama tem 4 calorias) e da proteína (1 grama em 4 calorias).

100 calorias (Foto: Arte/G1)

Os especialistas também deram dicas de movimentos para que a massa muscular ocupe o lugar da gordura e destacaram por que não se deve pular refeições, mas comer devagar e sempre. Não comer no café da manhã, almoço ou jantar faz com que o corpo se proteja, guardando energia em forma de gordura e deixando o metabolismo mais lento.

Em geral, quanto mais gorda for uma pessoa, mais calorias ela vai gastar em determinada atividade, porque o organismo tem que fazer mais força para mover um peso maior.

A atividade física regular é responsável por 50% da aceleração do metabolismo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), um quilo de massa muscular a mais é suficiente para manter o corpo pronto para queimar mais gordura.

Fonte: Programa Bem Estar

Café da manhã repõe energia e ajuda a aumentar o rendimento intelectual

O café da manhã é uma refeição fundamental para despertar, começar bem o dia e acelerar o metabolismo. Mas muitos brasileiros pulam essa parte, vão direto para o trabalho e “enganam o estômago” até a hora do almoço.
Os médicos falaram sobre as características ideais do primeiro prato do dia e como esse hábito se forma ainda na infância. Também explicaram por que ficar muito tempo em jejum pode engordar, ao invés de emagrecer. Isso ocorre porque a grelina, hormônio da fome, aumenta muito em longos períodos de privação alimentar, e aí as pessoas comem mais depois, para compensar.
Café da manhã (Foto: Arte/G1)

Pular o café pode piorar trabalhos durante a manhã, por diminuir o desempenho intelectual e a resistência no caso de uma atividade física. Os hábitos alimentares se formam quando o indivíduo ainda é pequeno, por isso é importante incentivar os menores a ampliar o paladar e provar várias opções de alimentos.
Ao longo da infância, as necessidades nutricionais de vitaminas e minerais são maiores, principalmente por causa do crescimento. Nessa fase, portanto, as deficiências podem ser mais frequentes e suas consequências, mais sérias. Além disso, a fome diminui a habilidade da criança em responder aos estímulos ambientais, prestar atenção e obter informações.
Diversos estudos mostram que, ao não fazer o desjejum, perde-se a oportunidade de consumir micronutrientes, o que não é compensado em outras refeições e pode causar prejuízos ao crescimento e ao desenvolvimento.
O leite e seus derivados são as principais fontes de cálcio, mas o consumo fica muitas vezes restrito a um copo de leite no café da manhã. Nas outras refeições, a ingestão costuma ser muito baixa ou até inexistente.
Na infância e na adolescência, o cálcio contribui para a formação de ossos mais fortes e resistentes, prevenindo a osteoporose e possíveis fraturas na vida adulta. Além disso, a substância participa de várias outras funções no organismo, como divisão celular, contração muscular e transmissão de impulsos nervosos.

Presentei que você gosta com uma deliciosa cesta de café da manhã. Conheça todas as opções de cestas para café da manhã http://www.oficinadecestas.com.br/?&secao=listar_produtos&categoria_princ=552213 e apaixone-se.

Fonte: Program Bem Estar - Rede Globo

Após a gravidez, Luciana Gimenez diz o que fez para perder 26 kg

André Schiliró / Divulgação/.

Sete meses após dar à luz Lorenzo, Luciana Gimenez exibe boa forma em fotos de biquíni


Luciana Gimenez exibiu um corpão de dar inveja em ensaio de biquíni para a edição de setembro da revista "Shape". E olha que tem apenas sete meses que ela deu à luz Lorenzo, fruto de seu casamento com Marcelo de Carvalho. Na gravidez, Luciana engordou 26 kg e para recuperar o corpitcho, ela contou que começou a malhar logo quando saiu da maternidade.

"No dia seguinte que descobri que estava grávida, já comecei a pensar em voltar à forma. Quando o Lorenzo nasceu então, no dia seguinte, já tinha cinta para colocar e dieta a seguir. Só pensava nisso", revelou a apresentadora.

Mas, segundo Luciana, não adianta apenas malhar. Quem quer ter um corpinho em forma tem que conseguir controlar a gula e focar na dieta. "Isso é o mais importante, não tem sentido se acabar na ginástica e comer tudo o que quer... Se você toma um sopão de legumes, não tem fome. O que sente é a gula de querer mais. Se a gente come até ficar satifeita, come pouco." Anotou?

Que tal presentear com uma cesta saudável? Além de um delicioso café da manhã light, a cesta é decorada em tecido com fita personalizada com bordado e ainda acompanha caneca com foto ou nome. .

Fonte: Revista Criativa

Alimentos que ajudam a prevenir a celulite

Foto:  Shutterstock
Saiba o que comer para prevenir celulites (Foto: Shutterstock)
Alimentos ricos em sílico Esse mineral é importante na produção de colágeno, substância responsável pela firmeza e elasticidade da pele. Alguns exemplos:
1. aveia
2. cevada
3. nabo
4. salsa
5. avelã
6. feijão
7. centeio
8. banana
9. alho

Alimentos ricos em boro O boro ajuda a manter alinhadas as fibras elásticas e auxiliam na renovação celular. 10. vegetais verde escuros
11. algas
12. rabanete
13. frutos do mar
14. pepino
15. beterrada

Alimentos ricos em vitamina C Protege as paredes dos vasos sanguíneos contra os radicais livres que promovem o envelhecimento precoce das células e tecidos.
16. laranja
17. limão
18. acerola
19. Alcachofra (tem ação diurética, o que ajuda a eliminar toxinas).

20. Gengibre
Produz calor e acelera o metabolismo, além de ter ação antioxidante. Combate o envelhecimento da pele. É mais eficaz quando consumido cru. Uma boa dica é tomar suco de melancia com gengibre ou ralar o alimento em cima da salada.

21. Melancia
Rica em licopeno, um antioxidante particularmente potente. Melhora a circulação sanguínea e suaviza a celulite.

22. Tomate em forma de molho
Além de ser rico em vitamina C, o tomate também é rico em licopeno. Para ajudar no combate a celulite o ideal é ingeri-lo em forma de molho.

23. Bardana (aumenta o fluxo do sangue por causa do potássio, o que pode ajudar a prevenir a celulite).

24. Centella Asiática (tem ação antiinflamatória que ajuda a combater a celulite).

Brássicas São alimentos ricos em substâncias capazes de prevenir e até de diminuir o aparecimento de celulite.
25. couve
26. brócolis
27. couve-flor
28. couve-de-bruxelas

29. Açafrão da terra (cúrcuma)
Use o açafrão da terra diariamente. Uma dica é colocar um pouco no saleiro para temperar a salada. O ideal é consumir 1 ou 2 colheres de chá por dia. Ele estimula a circulação, diminui o inchaço e é altamente antioxidante.

Frutas vermelhas São frutas antioxidantes, o que ajuda a limpar o organismo e a eliminar celulites.
30. morango
31. açaí
32. framboesa
33. amora

Você já curtiu a Oficina de Cestas no Facebook? Todo dia novidades para você

Fonte: Revista Criativa

Quer um bom motivo para não deixar de tomar café da manhã?



Foto: Shutterstock
Estudos apontam que a primeira refeição do dia está diretamente ligada com a manutenção do peso. A maioria das pessoas que conseguem emagrecer e permanecer magras depois da dieta possuem o costume de tomar café da manhã. Segundo pesquisa feita com mais de 15 mil participantes pela Universidade de Medicina de Tapei, Taiwan, e publicada no Jornal Internacional da Obesidade, o risco de chegar à obesidade é 34% maior entre as pessoas que pulam o café.

A explicação do médico endocrinologista e nutrólogo da Universidade Federal de São Paulo João César Castro Soares é simples. O período matutino, em geral, é o mais ativo do dia e, por isso, é também quando o corpo mais gasta calorias. Ou seja, comer de manhã significa gastar a maior parte das calorias que foram ingeridas automaticamente. Além disso, é um hábito que gera mais energia para o resto do dia. Com mais energia, a tendência é que você se sinta mais ativa e aumente o gasto calórico.

Outro bom motivo a favor do desjejum é que ele ajuda a saciar o organismo e evita com que você sinta muita fome ao longo do dia e acabe exagerando nas outras refeições, que acontecem em períodos em que estamos mais em repouso, como à noite, por exemplo. "Comer pão francês no café da manhã é gostoso e liberado, enquanto na parte da noite é melhor evitar", diz o Dr. João César.

Como começar?

Se você não é adepta do café da manhã, separamos 4 dicas infalíveis e 1 menu de café da manhã para quem quer começar a adquirir o hábito.

1. Acordar 15 minutinhos antes: não precisa ser um café da manhã demorado como nos comerciais de margarina. Acordar 15 minutinhos mais cedo não vai fazer muita diferença no seu sono, mas pode fazer tanto na sua saúde quanto na balança.
2. Para quem costuma acordar sem fome e com enjôo matinal: comece pela fruta. A acidez da fruta pode ajudar na digestão e diminuir a sensação de enjoo.
3. Para quem gosta de comer à noite: se você acorda sem fome, pode ser que esteja comendo mais do que o necessário na última refeição do dia. Comer demais antes de dormir atrapalha a digestão e aumenta a sensação de saciedade pela manhã.
4. Para os apressados: sim, já entendemos que você não vai acordar mais cedo. Então leve consigo ao trabalho coisas fáceis de carregar na bolsa. Iogurte, barra de cereais e frutas secas são ótimas opções para começar o dia. Algumas frutas também são fáceis de carregar, como banana e maçã. Vale também levar queijos processados que já vêm embalados para levar de lanche e não precisam ficar na geladeira.

+ 1 menu: dicas para fazer um café da manhã balanceado - uma porção de frutas ou suco
- uma porção de carboidrato complexo - pães e cereais
- uma porção de proteína - leite, iogurte e queijos
- uma xícara de café - a cafeína dá mais energia, acelera o metabolismo e pode ajudar no gasto calórico.

Comece o dia com um lindo café da manhã da Oficina de Cestas. Conheça a cesta Rubi: deliciosos ítens de café da manhã em uma cesta de vime decorada em tecido, com uma fita bordada com seu nome, e mais uma caneca com a foto que marcou momentos inesquecíveis. Apaixone-se http://www.oficinadecestas.com.br/produto/89196/Cesta_light.html

Dr. João César Castro Soares é médico endocrinologista e nutrólogo da Universidade Federal de São Paulo

Fonte: Revista Criativa